Inicial / Matérias Especiais / 59 anos de história, Brasília

59 anos de história, Brasília

Print Friendly, PDF & Email

Por do Sol na ponte JK.

Dia 21 de abril, a capital federal do Brasil completa 59 anos. Brasília era uma promessa antiga, quando ainda no período de colonização, buscava-se um local para a instalação da capital e que não ficasse próximo ao litoral, de forma a prezar pela segurança e maior facilidade de ataques.

A região central do país tornou-se evidência até mesmo porque, na época era uma região pouco povoada e consequentemente pouco desenvolvida. Foi então com o presidente Juscelino Kubitschek (conhecido como JK) eleito em 1955, que a ideia do governante era erguer uma cidade moderna aconteceu.

Bibabô, uma marca que chegou com os pioneiros.

Desde então muito viveu Brasília, que iniciou tímida e hoje é referência para o mundo. De fato, se tornou uma “capital de um Brasil audaz, bom na luta e melhor na paz”. Conta Maria de Fátima Santana, a Fatinha, que seu pai foi um dos pioneiros de Brasília, “nós viemos de uma cidade do Paraná chamada, Marilândia do Sul. Meu pai veio aventurar, porque na época ouviu dizer que Brasília era o futuro do país. Ele fazia contabilidade para os assessores do Juscelino Kubitschek e também para o comércio, lembra da loja Bibabô? ”, disse.

Brasília é um dos locais aonde várias culturas se encontram. Na capital federal é comum ir numa padaria e receber um bom dia em Italiano, inglês, espanhol, bengali, japonês e é claro, com aquele sotaque nordestino, minereis, gaúcho, não é “mermo” meu irmão carioca. Este é o chamado processo de aculturação, que deixa esta bela capital ainda mais eclética e rica.

Muitas pessoas falam que Brasília é diferente, “para você ver que na Asa Norte e Asa Sul têm as tesourinhas, e menina, as vezes quando chove elas enchem d’água”. Conta Fatinha com um sorriso de quem já passou apuros nos intensos períodos de chuva na capital. “Veja você, que moramos dentro do corpo de um avião, e isso tem em outro lugar do mundo? ”, pergunta Fatinha orgulhosa mostrando no mapa o ponto da Asa Norte que ela mora.

Maria de Fátima Santana, a Fatinha

A Família da Maria de Fatima era proprietária do Hotel Santana, na 707 Norte. Sim em Brasília os endereços são diferentes, aqui a “Rua” que não existe é identificada por um número e, se perguntar aonde fica o centro da cidade, o morador deve reperguntar? Você precisa ir a qual setor? A capital federal foi planejada e dividida em setores, alguns até brincam que existe até o setor de chuvas, pois de clima diferenciado, muitas vezes chove na Asa Sul enquanto na Asa Norte as nuvens não resolvem passar.

“Eu construí minha família aqui, sinto muita falta da liberdade que tínhamos. Eu brincava nas entre quadras até tarde, e o contato com a natureza era maior. Sabe o carnaval, era fantástico nós amanhecíamos nas festas dos clubes e o nosso café da manhã era na pastelaria Viçosa, esse da Rodoviária, que na época era seguro, deixávamos o Fusca do meu irmão com as portas abertas e nunca fomos roubados”, relembra.

De fato, em várias coisas Brasília é diferente do restante do país. Por exemplo: Brasília não tem prefeito e vereadores, ela é administrada pelo governador e o Legislativo é representado pelos deputados distritais.

Sou muito grata a Brasília, nestes 55 anos que me recebeu vivi muitas alegrias e aprendi muito com erros. “Quero deixar uma mensagem de esperança e perseverança a todos que lerem estas linhas, morei em um cortiço no Núcleo Bandeirantes, e a casinha de madeira que tínhamos pegou fogo, nosso início foi difícil, mas aos poucos fomos melhorando, aprendendo, recebendo oportunidades. Assim é sempre, tudo tem o momento e a oportunidade e essa é para todos”, finalizou Maria de Fátima Santana, mãe de uma menina de 25, uma paranaense apaixonada por Brasília.

O Colorido Distrito Federal

Os Ipês são uma marca forte no Distrito federal. Em setembro, por exemplo, os Ipês amarelos tomam conta de Brasília que se transforma numa cidade colorida. É quando as árvores florescem e chama atenção de brasilienses e turistas mudando a paisagem da Capital da República.

Os caminhos de Brasília até 2022

Governador Ibaneis Rocha

O governador Ibaneis Rocha (MDB) percorre um longo caminho para buscar soluções para Brasília. Rápido no gatilho, tem enfrentado com respostas imediatas todos os questionamentos que atingem o Governo do Distrito Federal e o próprio governador. Antes mesmo de tomar posse, iniciou uma peregrinação aos órgãos federais para buscar recursos. Reuniu-se com parlamentares, ministros, representantes de bancos com liderança do governo a fim de garantir verbas para áreas importantes da cidade. Ele também articulou a aprovação de medidas, como a criação da Zona de Livre Comércio no Distrito Federal e da Região Metropolitana de Brasília já caminhando bem no Congresso Nacional.

Alguns dos principais pontos que deverão ser enfrentados pelo governador Ibaneis Rocha ele tem sido obrigado a utilizar seu saber jurídico para enfrentar algumas situações.

Um dos problemas mais graves do governo está justamente na área responsável por cuidar da Saúde. O secretário, o farmacêutico bioquímico, Osnei Okumoto enfrenta uma verdadeira batalha para começar a cumprir a promessa do governador de recuperação da saúde no DF.

Como medida prioritária para a Saúde, Ibaneis pretende zerar as filas nos hospitais. Ele quer dar acesso aos atendimentos, não deixar faltar medicamentos, reformar centros de saúde e conseguir tratar a população preventivamente, evitando superlotação nas emergências. Para isso, cumprir sua promessa, começa a findar contratos emergenciais, conseguir aplicar logo os recursos garimpados no Governo Federal e ainda fazer uma reorganização em todo o sistema de saúde, já em andamento.

Educação

Com a necessidade de reforma, na maioria das escolas públicas identificadas pelo Tribunal de Contas do DF, Ibaneis Rocha prometeu melhorar as estruturas atuais e construir novas unidades. Na campanha, Ibaneis. Prometeu reformar todas as escolas em um ano antecipou que conhece o orçamento do Distrito Federal e sabe o que pode fazer. Outro compromisso do governador é construir creches e acabar com o déficit de vagas para crianças de zero a 3 anos. Outro desafio do atual governo é a valorização dos professores. Ibaneis quer cumprir as metas do Plano Distrital de Educação (PDE) e ainda implantar o ensino integral. Essa missão, nada fácil, está a cargo do secretário  Rafael Parente.

Transportes

O governador pretende expandir as linhas do Metrô DF para a Asa Norte. Para cumprir seu intento, o governador, terá que buscar recursos bilionários. Na Asa norte, as linhas deverão ser subterrâneas, exigência do Patrimônio Histórico. Uma estação com mas passagens subterrâneas tem um custo estimado de R$ 70 milhões.

Segurança

Entre os desafios do governador estão a pacificação das polícias Civil e Militar, aumentar a sensação de segurança da população, reduzir o índice de criminalidade e abrir as delegacias de polícia, no período noturno. Desafio esse, já sendo aplicado dentro de uma programação em escala.

Paralelamente ao comando do Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha, começa a pavimentar seu caminho para buscar um espaço privilegiado na liderança do MDB Nacional. A rampa do Palácio do Planalto está entre suas pretensões políticas futuras.

Blog Edgar Lisboa/Amanda Miguel