24 de setembro de 2018
Inicial / Outras Notícias / Agronegócio gera emprego de alta qualidade, diz ex-ministro

Agronegócio gera emprego de alta qualidade, diz ex-ministro

Print Friendly, PDF & Email

O presidente da Comissão de Trabalho da Câmara, deputado Ronaldo Nogueira (PTB/RS), destaca que a cadeia produtiva do agronegócio é um dos mais importantes geradores de empregos de alta qualidade no País. Ao contrário de uma corrente de detratores, o setor rural, acusado de explorar mão de obra com trabalho degradante, oferece emprego de alta qualificação em segmentos como   agricultura de precisão e gestão ambiental. Diz o parlamentar (foto), ex-ministro do Trabalho e integrante da Frente Parlamentar da Agropecuária, que “o agronegócio no Brasil tem sido responsável pelo desenvolvimento econômico do País, a produção de alimentos para o mundo e a geração de bons e numerosos empregos para a sociedade”.

Segundo ele, “a articulação sincronizada desses três eixos é fundamental. Com isto asseguramos a preservação do meio ambiente, a utilização dos arranjos tecnológicos e a produção de alimentos, cultivo e multiplicação de sementes”.

O setor, destaca o parlamentar trabalhista, oferece muitas oportunidades para profissionais de segmentos modernos da economia: “Há três pilares fundamentais, principalmente no que diz respeito à agricultura de precisão: meio ambiente, tecnologia e produção”. Ele argumenta que “a articulação sincronizada destes três eixos, são fundamentais. “A preservação do meio ambiente, a utilização dos arranjos tecnológicos, que diz respeito ao manuseio da terra, a produção de alimentos e a multiplicação de sementes têm sido fundamentais para o desenvolvimento desse setor e na sua consequência, a geração de empregos”, afirma.

Na opinião de Nogueira, “o agronegócio avançou muito nos últimos anos. Hoje nós vemos que a utilização dos novos meios tecnológicos tem trazido resultados efetivos, inclusive na preservação do próprio meio ambiente; entre esses avanços conservacionistas destacamos o plantio direto, praticado em quase toda a extensão das lavouras brasileiras. Tem sido uma alternativa importantíssima, o que tem evitado de forma sistemática a erosão do solo e outros aspectos que contribuíam para o assoreamento dos cursos de água, enchia rios de areia, e, principalmente, aí no que diz respeito à preservação de mangues, viveiros banhados e nascentes, que são os viveiros mais interessantes da biodiversidade em nosso País”.

Agência Digital News