Inicial / Outras Notícias / Árvore milagrosa: e a profecia falhou

Árvore milagrosa: e a profecia falhou

Print Friendly, PDF & Email

arvore 2,Foto: Foto:Andressa AnholeteAo final do sétimo dia do testemunho de pelo menos cinco pessoas que dizem ter presenciado um milagre na Chácara da Gruta no Condomínio Sol Nascente, a árvore milagrosa continua apresentando a substância branca. Uma das testemunhas, o padre Ribamar Rodrigues havia dito que “o gelo” sumiria após esse período.

Mesmo assim, a suposta aparição de Nossa Senhora que teria congelado o galho da sucupira no terreno de uma igreja na última sexta-feira, continua atraindo centenas de fiéis.

As teorias científicas, os incrédulos e a fé cega dos religiosos que em meio a lágrimas suplicam pela cura se misturam aos rumores de fraude, até mesmo entre os que inicialmente acreditavam.

Precisão difícil

Entre as informações repassadas pelo padre Ribamar Rodrigues, em nome da Mãe de Jesus, estaria a data de validade do sinal milagroso que deveria durar somente sete dias. De acordo com o horário da visão, o gelo deveria ter sumido ou descongelado ontem, por volta do meio-dia, mas isso não ocorreu.

Quando indagada sobre os motivos do erro na profecia, a monja Renata Moura, de 32 anos, uma testemunha do suposto milagre, se contradiz: “Ela,  o congelamento desapareceria, talvez, por volta de sete dias, mas não deu nenhuma precisão, é muito difícil dar uma precisão”.

Apesar de revelar a falta de pontualidade ou clareza na mensagem de Nossa Senhora, a monja Renata contou que teve certeza da força da Virgem Maria na sexta-feira passada, quando viu o galho congelar instantaneamente ao lado do Padre Ribamar Rodrigues.

 Mensagens

“Viemos rezar na gruta, como de costume. Estávamos descendo as escadas quando ele parou e me perguntou se estava chovendo? Estava um dia ensolarado, mas a gente começou a sentir umas gotas de água caindo do céu. Todos nós vimos o galho congelando. E ele nos contou da visão que teve de Nossa Senhora e inclusive recebeu mensagens pessoais para todos nós”, contou a monja.

Próximo à hora do almoço, os católicos ortodoxos pregadores da Chácara da Gruta no Condomínio Sol Nascente aproveitaram a movimentação para vender comida e algumas lembranças do milagre. Pequenos frascos com a água da gruta que supostamente cura, livros com as mensagens que Nossa Senhora deixou para a comunidade ao longo dos anos, e fotos plastificadas e ampliadas do galho congelado, são vendidas por R$ 3 e R$ 5.

O vendedor Alessandro de Souza Abreu, de 38 anos, gastou R$ 6 para comprar duas fotos do galho, uma tirada no primeiro dia, e outra alguns dias depois. A diferença do tamanho e da consistência da substância branca que envolve o galho nos dias consecutivos foi o que desmascarou o milagre na visão dele. “Até ontem, eu acreditava. Vim duas vezes, contei para a minha família toda, meu pai veio de Luziânia para ver. Não tinha explicação, é muito branco e realmente pinga 24 horas. Mas, depois que pesquisei na internet, e encontrei motivos científicos para esse fenômeno e presenciei uma série de acontecimentos aqui mesmo, vou ter que voltar para casa e desmentir, dizer que me enganei”, confessou Alessandro, desapontado e envergonhado.

Espuma

No dia anterior ele estava na gruta quando sua cunhada contou que um fragmento da espuma branca havia caído no chão e a missionária pegou rapidamente e escondeu. “Se fosse gelo mesmo ela ia querer mostrar para todo mundo”, disse o vendedor desconfiado.

Se houver demanda pelo proprietário do terreno, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) está disposta a encaminhar uma equipe de engenheiros florestais para fazer a análise, em laboratório, do material biológico da árvore.

Somente após uma criteriosa avaliação, será possível explicar cientificamente as causas e como se deu tal fenômeno.

A Igreja Católica só considera um milagre depois de estudar os testemunhos pessoais envolvidos, provas materiais e fatos relacionados ao possível sinal divino.

Clica  Brasília, Jornal de Brasília