Inicial / Repórter Brasília / Bolsonaro baixa o tom
Bolsonaro prega o entendimento com Legislativo e Judiciário

Bolsonaro baixa o tom

Print Friendly, PDF & Email

O presidente Jair Bolsonaro muda de postura, avaliam parlamentares e especialistas. Deixou de lado aquela figura explosiva que buscava conflitos a cada momento e, está portando-se agora com mais equilíbrio, sem criticar as demais instituições. Voltou a pregar um entendimento com o Legislativo e Judiciário.

Um trabalho estratégico comandado pelos militares do governo, conduz o presidente da República a avançar em agendas mais propositivas.

Menos conversas matinais

As reduções das conversas matinais, no Palácio da Alvorada, também ajudaram nessa mudança de postura, bem como o não atendimento de algumas questões cobradas pela ala ideológica do Governo, como a nomeação do novo ministro da Educação indicado por militares, e não um aluno de Olavo de Carvalho.

Julgamento hoje no TSE

A nova postura de Bolsonaro é comemorada por políticos ligados ao Palácio do Planalto. O que pode fazer o presidente voltar a colecionar polêmicos, atirando para todos os lados, é o julgamento desta terça-feira (30), no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de duas ações que pedem a cassação da chapa presidencial, formada por Bolsonaro e o vice, Hamilton Mourão, em 2018.

Energias para o Governo

Lucas Redecker: “a dor ensina a gemer”

“Bolsonaro precisa deixar as intrigas de lado e voltar as energias para o governo”, afirmou o deputado gaúcho, Pompeo de Mattos (PDT). Para Lucas Redecker (PSDB/RS), “é notável a mudança de postura do presidente, de baixar um pouco o tom de voz, e ter um novo perfil. O tucano avalia que “o papel do presidente da República, consiste em governar para todos e não para alguns”. Segundo Redecker, “neste momento em que vivemos uma pandemia e estamos com dificuldades econômicas, com problemas políticos e de entendimento entre o próprio Executivo, devemos unir forças para fazer as coisas caminharem mais rápido”.

Agenda Brasil

Com a postura do presidente, até agora, afirma o congressista, “o grande prejudicado é o País, a população brasileira. Eu resumo numa coisa, que os antigos falam:  a dor ensina a gemer”. Segundo Redecker, “por tudo o que todos passaram até agora, com as dificuldades, se a consequência for, em virtude do que vai ser julgado, nas dificuldades que o presidente está tendo com o Supremo, e isso resume num presidente com mais diálogo, maior flexibilidade, para que possa agilizar a agenda Brasil, isso se torna positivo”.

Um presidente ponderado

A verdade é que o novo comportamento do presidente Bolsonaro está chamando atenção de todos. Ele está mais ponderado, como convém num momento de crise, onde todos devem estar unidos com o mesmo objetivo: buscar uma solução para o Convid-19, que mata milhares de pessoas a cada dia.

Vítimas do Covid -19

Osmar Terra: “é necessário uma política do governo para os idosos em asilo”.

O ex-ministro e deputado federal Osmar Terra (MDB/RS), fez um alerta, em vídeo, no twitter, que idosos, em lares de cuidadores, devem receber atenção reforçada. Segundo o parlamentar, que é médico, a grande maioria das vítimas do coronavírus, são idosos, em asilos, pessoas que já estavam em isolamento muito antes da epidemia acontecer. “Estas pessoas são mais debilitadas, e a entrada da epidemia, num asilo, é uma catástrofe”. Para o deputado, Osmar Terra, “é necessário uma política do governo para os idosos em asilo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *