Inicial / Destaques / Bolsonaro bota o pé na estrada para captar um milhão de assinaturas até 31 de janeiro
Bolsonaro bota o pé na estrada para captar um milhão de assinaturas até 31 de janeiro - Blog Edgar Lisboa. Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Bolsonaro bota o pé na estrada para captar um milhão de assinaturas até 31 de janeiro

Print Friendly, PDF & Email

José Antônio Severo

Pé na estrada: segunda feira o presidente Jair Bolsonaro dá seu primeiro passo na grande e acelerada marcha para completar as exigências para a formação de seu partido Aliança pelo Brasil. Sua meta, como chefe supremo da entidade em formação, é atingir entre 800 mil e um milhão de filiados até 31 de janeiro, informou à Agência digital News,  o segundo vice-presidente do Aliança, o suplente de senador Luiz Felipe Belmonte (PSDB/DF), integrante do triunvirato de comando do movimento, composto pelo próprio presidente da República, pelo senador Flávio Bolsonaro (sem partido/RJ), primeiro vice-presidente, e por ele, o segundo vice. É o trio de comando do projeto

Até o meio-dia de sábado,11, quando os equipamentos de informática da organização entraram em trabalhos de manutenção, os sistemas contavam com 193 mil downloads de novos filiados com fichas devidamente preenchidas. Até o domingo, estimava-se que passaria dos 250 mil nomes, informou. Cada um desses novos correligionários, baixando a proposta,  confirma seus dados e recebe um cupom de coleta de assinatura de reconhecimento de firma para registrar seu pedido de filiação com firma autenticada em cartório de notas, para não haver dúvidas, diz Belmonte: “não há como impugnar uma assim um documento com fé pública, assinada presencialmente à frente do tabelião”. É uma operação sem custo para a organização, pois cada candidato paga suas despesas, variando entre cinco e 10 reais por firma.  O seguro morreu de velho.

Teste no Ceará

As ações iniciam-se nesta semana, mas sexta-feira passada o presidente Bolsonaro já fez uma primeira assembleia por vídeo conferência, com a participação de 1.600 lideranças evangélicas do Ceará. Esse será o ritmo. Onde puder estar pessoalmente, irá, mas grande parte de sua presença no processo se dará à distância. Foi um teste do modelo, diz Belmonte, que funcionou perfeitamente na sua avaliação, pois todos os integrantes, pastores e diáconos, são versados nesse tipo de telecomunicação.

A maior parte das bases está sendo recrutada nos espaços religiosos, evangélicos, principalmente, mas também católicos e, mais recentemente, kardecistas. Outra base importante, diz o vice-presidente do Aliança, são os movimentos integrados por militares, da ativa e da reserva, estaduais e federais. Um desses que está a ponto de entrar no projeto, negociando suas participações, é a Federação de Entidades Militares, com sedes em 950 municípios. Esse grupo estava se encaminhando para formar um partido político próprio, mas com o surgimento do partido do presidente da República estão derivando para a nova entidade. “Esse pessoal tem muita capilaridade, um sistema organização perfeito e está mobilizado”, afirma Belmonte. Da mesma forma, os movimentos de policiais militares, bombeiros e outros segmentos do sistema de segurança dos estados e municípios (policiais civis, guardas municipais etc.) estão se mobilizando para captar assinaturas e promovera adesão maciça de seus integrantes.

Segundo Belmonte, o Aliança já conta com organização completa em nove estados, mas está operando em todo o território. Faltam dois para completar inteiramente o território. Ainda acrescenta que todos estarão igualmente contemplados, desfazendo a versão de que haveria uma concentração de esforços no Nordeste, para atacar o arqui-adversário Partido dos Trabalhadores (PT) nas suas bases mais sólidas. Os pontos de reunião de adeptos geralmente são tempos e igrejas, mas poderão abrir mesas de inscrição nas ruas ou em locais púbicos. “Já conseguimos muitos   estados”, diz.

Prefeitos do Triângulo

No espaço político, o partido também está recebendo promessas de apoios importantes. No sábado, 11, Belmonte recebeu omconvite para uma conversa com um grupo de 30 prefeitos do Triângulo Mineiro. Elkes querem informações sobre  condições políticas e legais para adesão. Esses, segundo o vice-presidente, dependem ainda do andamento dos processos de registro, pois vários são candidatos à reeleição. Antes de haver segurança, não podem abandonar as legendas às quais estão filiados.

O plano dos líderes é entregar à Justiça toda a documentação no dia 3 de fevereiro, na primeira hora do final do recesso das férias e volta ao trabalho do Tribunal Superior Eleitoral. Também as equipes estão voltando à ativa na segunda feira, 13, depois de uma interrupção programada para descanso. O próprio Belmonte e sua mulher, a deputada federal Paula Belmonte (Cidadania/DF), regressaram de suas férias no sábado, depois de uma passagem por Dubai, para assistir à partida final da copa do mundo interclubes ( ele é desportista atuante) entre Flamengo e Liverpool, seguindo depois a Israel, para receber ,  em Jerusalém, diz, “uma energização espiritual e física”. Daqui à frente, é seguir a máxima dos paraquedistas, graceja: “missão dada, missão cumprida”.

Blog Edgar Lisboa/José Antônio Severo