Brasil de volta ao Mapa da Fome

Print Friendly, PDF & Email
Brasil de volta ao Mapa da Fome. Blog Edgar Lisboa . Foto: Edgar Lisboa. Foto Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

Podemos estar às vésperas de um retrocesso social no Brasil. A crise pode levar o País de volta ao mapa da fome. Durante reunião do Conselho Econômico e Social da ONU, em Nova York, esta semana, 40 entidades civis apresentaram documento mostrando que a fome começa a assombrar famílias brasileiras. Já o governo se defende, afirmando que o combate à recessão reduzirá a pobreza e a insegurança alimentar.

O doloroso é que três anos depois de o Brasil sair do mapa mundial da fome da ONU – o que significa ter menos de 5% da população sem se alimentar o suficiente-, o velho e temido fantasma volta a assombrar as famílias brasileiras.

Irresponsabilidade Fiscal

Para o ministro do Desenvolvimento Social (MDS), Osmar Terra, o aumento da pobreza e da miséria no Brasil – apontado em relatório produzido por entidades da sociedade civil, e que será entregue à Organização das Nações Unidas (ONU) – é reflexo da irresponsabilidade fiscal do governo Dilma, e de uma condução desastrosa da política econômica brasileira. Inclusive, os números que amparam o relatório são referentes à gestão do PT. “Assumimos o governo com as contas deficitárias. Mesmo assim, reajustamos o benefício médio do Bolsa Família em 12,5%, o que não era feito havia dois anos, e isso tem forte impacto na vida da parcela mais vulnerável da população”, explica Terra.

Reorganizando a Gestão

Além disso, segundo o ministro gaúcho, havia uma série de repasses atrasados para vários programas, o que tem impactado significativamente no desdobramento das políticas e ações desenvolvidas pela Pasta. “Também estamos reorganizando a gestão desde que assumimos o governo. Fizemos o maior pente-fino da história do Bolsa Família para que o benefício chegue em que realmente precisa.

Busca de Soluções

O deputado Covatti Filho (PP-RS), presidente da Comissão de Fianças e Tributação, disse que concorda com o ministro Osmar Terra, mas, na verdade, a população está cansada de desculpas. “É hora de termos ações. Hoje nós estamos no governo e temos que buscar soluções para esse problema que é grave. Não adianta ficarmos afirmando que a culpa é de A, B ou C. Só conseguiremos combater o problema com ações. Ressaltou que “aqui na Comissão de Finanças e Tributação estamos trabalhando intensamente na busca de soluções”, concluiu o parlamentar.

Ronaldinho Gaúcho Deputado

O PSDB que tem estado nos últimos meses no meio do furacão político que atinge o país, antes mesmo de definir se desembarca ou não do Governo Temer, os tucanos começam a buscar nomes de personalidades para integrar seu quadro de candidatos aos diversos cargos em 2018. Brasília terá uma atenção especial pelo que representa no cenário Nacional. O presidente Regional do Partido, deputado Izalci Lucas, trabalha para pavimentar seu caminho ao Palácio do Buriti. Entre os nomes que deverão integrar os quadros do PSDB em Brasília, está Ronaldinho Gaúcho, ex-Seleção Brasileira, Inter, Grêmio, e, principalmente, Atlético Mineiro, time que o aproximou do candidato tucano ao governo de Brasília. “Ele me ajudou muito no Atlético Mineiro, nos deu o título da Libertadores, somos campeões mineiros. É um nome importante”, assinalou Izalci.