Inicial / Notícias / BRB amplia ao setor de Turismo linha de crédito para empresas impactadas pela crise do coronavírus
BRB amplia ao setor de Turismo linha de crédito para empresas impactadas pela crise do coronavírus - Blog Edgar Lisboa. Foto: Renato Alves/Agência Brasília

BRB amplia ao setor de Turismo linha de crédito para empresas impactadas pela crise do coronavírus

Print Friendly, PDF & Email

BRB amplia hoje (24), ao setor de turismo, acesso à linha de crédito de R$ 1 bilhão criada para ajudar as empresas impactadas economicamente pela pandemia do coronavírus. A linha de crédito faz parte do Supera-DF, programa criado pelo Banco para minimizar os prejuízos durante a crise do Covid-19.

O setor de turismo terá acesso a três linhas diferentes de crédito, a exemplo do que foi anunciado na semana passada para outras áreas como serviços, comércio e cultura.

As linhas de crédito oferecidas são a do Acreditar, produto de microcrédito do BRB, Progiro – Capital de Giro e BRB Investimento.

O Acreditar é um produto de microcrédito orientado que atende com financiamento de R$ 350 a R$ 15 mil, aval ou grupo solidário e é destinado para pessoas físicas ou jurídicas com faturamento anual de até R$ 200 mil. As taxas de juros são a partir de 1,85% a.m.

Já o Progiro oferece taxas de juros a partir de 0,80% a.m., com prazo de 36 meses para pagamento e seis meses de carência.

BRB Investimento tem prazo de 60 meses para pagamento e até 12 de carência. As taxas de juros são a partir de 0,92% a.m. Tanto o Progiro quanto o BRB Investimento são destinados a empresas de todos os portes.

“O BRB tem trabalhado fortemente para colaborar com toda a cadeia produtiva impactada economicamente pela crise do cornonavírus. Nossa ideia é colaborar com todos os setores que tenham necessidade nesse duro momento que o mundo vive”, afirma o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

Para ter acesso às linhas do Supera-DF é preciso contatar o BRB pelo 61 3322-1515. As agências estão fechadas, mas há equipes no local para fazer atendimento para as empresas.

Blog Edgar Lisboa/Banco de Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *