18 de agosto de 2018
Inicial / Artigos / Câncer: os números não param de crescer!
Câncer: os números não param de crescer! - Blog Edgar Lisboa. Foto: Divulgação

Câncer: os números não param de crescer!

Print Friendly, PDF & Email

No último dia 8 foi comemorado o Dia Mundial de Combate ao Câncer. Os casos de câncer estão, cada vez mais, sendo notificados e percebidos em nossa sociedade, só este ano no Brasil, a estimativa é de que surjam mais de 500 mil novos casos da doença, segundo uma pesquisa realizada pelo INCA (Instituto Nacional do Câncer).

O tipo de câncer mais frequente e comum no Brasil é o câncer de pele do tipo não melanoma, de acordo com a diretora-geral do Inca. Essa alta incidência decorre do clima tropical no país e a alta exposição das pessoas ao sol sem pouca ou nenhuma proteção. Outros dois tipos da doença que se destacam bastante no país são o câncer de mama nas mulheres e de próstata nos homens.

Ainda segundo o estudo do Inca, em cada dez casos, três estão relacionados ao estilo de vida que as pessoas possuem, como o tabagismo, sedentarismo, alto consumo de álcool e obesidade. Dessa forma, associa-se outros tipos bastante comuns da doença com os hábitos diários da população, como o câncer de pulmão e de intestino, que também apresentam uma alta incidência no Brasil.

A nutrição, a alimentação e o estilo de vida muito tem a ver com esse desenvolvimento, uma vez que, nos dias de hoje, sabe-se da relevância e influência do meio em que estamos inseridos no desenvolvimento da doença.

O nosso DNA, aquele que nos individualiza como seres humanos, é diretamente influenciado por aquilo que comemos ao longo do dia. Na nutrigenética e nutrigenômica, essa influência direta é a capacidade do meio em ativar ou desativar genes localizados no nosso DNA.

Dessa forma, existem alimentos específicos que podem ligar ou desligar (silenciar) importantes genes relacionados ao câncer e a outras doenças crônicas não transmissíveis, que estão ligados ao desenvolvimento de processos inflamatórios e envelhecimento precoce de células sadias.

Essa é uma causa muito provável que explica o surgimento dessas doenças, principalmente o câncer, de maneira precoce e em pessoas cada vez mais jovens.

Assim como a alimentação, um estilo de vida ruim compromete o RNA e o DNA das células e atua na ativação de genes inflamatórios, ligados a fatores de estresse. Quando deixamos de nos exercitar, dormir bem, descansar adequadamente e comer de maneira equilibrada, estamos criando no organismo um meio mais disponível e susceptível a doenças crônicas como o câncer.

Segundo pesquisadores, cerca de um terço dos casos da doença podem ser evitados. Diante disso e sabendo que o estilo de vida, a alimentação e as nossas atitudes diárias determinam e influenciam diretamente no surgimento e instalação da doença, cabe a cada um buscar opções melhores de se viver.

Praticar esportes, exercícios físicos, ter uma rotina adequada de sono, uma boa ingestão de água, aumento do consumo de alimentos mais naturais e controlar o consumo desenfreado e exacerbado de produtos industrializados são atitudes simples e que podem frear o desenvolvimento do câncer.

Na Nutrição, alimentos naturais e comida de verdade são aqueles com pouquíssimos ingredientes citados nos rótulos, isso quando um alimento natural contiver um rótulo. Então, que se descasque mais frutas, verduras e alimentos naturais e desembale menos produtos e alimentos industrializados.

*Nutricionista consultora da NutriCoaching.