Inicial / Artigos / Capital empreendedora – Janine Brito
Capital empreendedora - Janine Brito - Blog Edgar Lisboa. Foto: Cezar Rebouças

Capital empreendedora – Janine Brito

Print Friendly, PDF & Email

* Janine Brito

Brasília, que até pouco tempo atrás era considerada a cidade do funcionalismo público, vem ganhando destaque no cenário de inovação e criatividade. A capital, atualmente, é o terceiro maior mercado do país para empreender, de acordo com o estudo “Índice das Cidades Empreendedoras”, realizado pela Endeavor em 2016. E não esquecendo, claro, que ocupamos a 16º posição no ranking das cidades mais empreendedoras do Brasil.

Exemplo disso é a disseminação de startups e espaços de coworking no Distrito Federal: ambos já faziam parte da realidade brasiliense em 2017 e seguem como forte tendência para este ano. Isso é o que tem atraído o olhar dos jovens, muitos deles ainda na universidade, para o mundo dos negócios. A capital, por sua vez, ainda é jovem: contam-se 56 anos desde a sua inauguração, o que é tido como vantagem dado o espaço para diversos nichos do mercado.

Hoje já temos várias iniciativas em prol de fortalecer o empreendedorismo local, como, por exemplo, o Censo do Ecossistema de Startups do DF – que pretende identificar talentos, inspirar e também engajar estudantes, além de mapear startups em diferentes estágios de desenvolvimento. O projeto, criado pela Fundação Assis Chateaubriand, reúne pessoas que querem fazer diferente e gerar soluções e negócios de impacto.

Sabemos que empreender é uma tarefa que, em geral, exige esforço e dedicação exclusiva. Planejamento, capital de giro, boa gestão e recessão econômica estão entre os principais desafios para quem quer se lançar ao mercado. Soma-se a isso o investimento em inovação e fidelização de clientes. Nesse sentido, cabe entender que erros são tão importantes quanto os acertos, uma vez que, quando bem analisados, nos possibilitam aperfeiçoamento constante.

No mais, o que move o empreendedor é a paixão pelo que faz. E já entramos em 2018 com um importante legado de quem é movido por esse sentimento: a união do setor produtivo faz a força! Isso porque reunimos em um só grupo, quase 300 empreendedores que, juntos, representam 70% do PIB brasiliense para lutar em prol de medidas a favor do empreendedorismo local. Portanto, esgotemos todas as alternativas para driblar a crise e aprender com ela. Não desistamos dos nossos sonhos. Para frente é que se anda!

Diretora executiva da Ferragens Pinheiro *