Coluna Repórter Brasília | | Edgar Lisboa
Inicial / Repórter Brasília / Coluna Repórter Brasília
Financiando o MST - A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, espera receber, nesta terça-feira (17), o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), gaúcho Rolf Hackbart (foto), para dar explicações sobre as denúncias de altos gastos com diárias e passagens; o perfil dos assentamentos rurais mostrado por pesquisa do Ibope; e os desvios de recursos para o MST

Coluna Repórter Brasília

Print Friendly, PDF & Email

Irregularidades em Rio Grande

O ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, determinou a instauração de processo administrativo disciplinar para apuração de responsabilidades pelas irregularidades constatadas na obra de construção e ampliação dos molhes do Porto de Rio Grande. Uma sindicância preliminar instaurada, em 2008, pelo Ministério dos Transportes constatou que, “além de desnecessária, a obra não foi precedida de estudos técnicos e científicos de viabilidade econômica e ambiental”. De acordo com nota da CGU, “os responsáveis teriam atuado, em conjunto e deliberadamente, para promover as obras de prolongamento dos molhes e aprofundamento do canal, apesar das evidências históricas contrárias a essa necessidade”. A sindicância apontou ainda a existência de indícios de superfaturamento do contrato e de direcionamento da licitação beneficiando o consórcio vencedor. O relatório final da sindicância registra que o custo da obra teria passado de R$ 31,5 milhões, em 1994, para R$ 250 milhões, em 1998, um acréscimo de 792%.

Financiando o MST

foto: Divulgação
foto: Divulgação
A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, espera receber, nesta terça-feira (17), o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), gaúcho Rolf Hackbart (foto), para dar explicações sobre as denúncias de altos gastos com diárias e passagens; o perfil dos assentamentos rurais mostrado por pesquisa do Ibope; e os desvios de recursos para o MST.

Redução da carga horária em frigoríficos

O projeto de lei do senador Paulo Paim (PT) para diminuir a jornada de trabalho em frigoríficos está causando protestos entre o empresariado do setor. “Não sei onde estão com a cabeça estes politicos que só pensam em fazer caridade e benevolência com o dinheiro dos outros. Eles deveriam aumentar a carga de trabalho em duas horas dia, fazer com que o governo não onerasse estas duas horas com encargos sociais e convertessem estes custos para o bolso do trabalhador. Imagine se cada trabalhador, em um mês, colocar no bolso mais R$ 80, o que aconteceria com a economia deste País. Estes politicos estão na contramão, deveriam pensar ao contrário, já que na Europa e nos EUA, isso já não deu certo”, nos escreve o empresário de Bento Gonçalves Mauro Gasperim.

Viagem rende planta solar

Os diretores da empresa espanhola de energia solar Solaria, Miguel Díaz-Tejeiro e Arturo Díaz-Tejeiro, chegam ao Brasil hoje para anunciar o primeiro investimento em planta solar no País. A iniciativa é conseqüência de uma reunião realizada, na Espanha, em outubro, pelo presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Infraestrutura Nacional, deputado José Otávio Germano (PP), e outros três parlamentares brasileiros.

Aumento terrível para a Brigada

O leitor Romeu Karnikowski nos envia mensagem classificando o pacote de aumento para a Brigada Militar como sendo terrível. “Os oficiais superiores terão um aumento, mas perderão a legitimidade de comandar. É uma vitória de Pirro, ou seja, uma vitória para os oficiais superiores, que custará muito caro para eles. Se esse aumento for confirmado, será o fim da Associação dos Oficiais da Brigada Militar (ASOFBM)”, diz Karnikowski. “Os capitães estão em pé de guerra contra o presidente da ASOFBM por causa desse aumento em que não foram contemplados. A guerra foi declarada na BM. Nunca antes a BM vivenciou um momento de crise tão grande como agora”, constata Karnikowski.

Um Comentário

  1. For example, if you do a two hour bike ride, you should drink about one cup (8 ounces) of liquid every 15 minutes. ,