Inicial / Outras Notícias / Deputado  Dziedricki toma posse no Parlamento do Mercosul 

Deputado  Dziedricki toma posse no Parlamento do Mercosul 

Print Friendly, PDF & Email

O parlamentar gaúcho pretende reafirmar o protagonismo do Rio Grande do Sul no bloco e tratar de grandes obras que desenvolvam a economia dos países membros

O deputado federal Maurício Dziedricki (PTB-RS) toma posse, nesta segunda-feira, 1º de abril, no Parlamento do Mercosul, em Montevideo, no Uruguai. O parlamentar gaúcho assume a cadeira na representação brasileira no Parlasul com o objetivo de reafirmar o protagonismo do Rio Grande do Sul na relação com os países do bloco e promover a economia do estado e do Brasil neste ambiente.

De acordo com Dziedricki, a nova representação brasileira buscará tratar das obras de grande porte que unirão a América do Sul e possibilitarão corredores de investimento e escoamento de produção. “O Rio Grande do Sul possui fronteira com dois países do Mercosul. Temos uma posição estratégica para a economia de todo o bloco em melhorias em nossa infraestrutura serão benéficas para todos”, afirma.

Nesta sessão do Parlasul, entre outras propostas que serão debatidas, destaca-se a recomendação do parlamento para se suprimir as taxas referentes ao roaming no Mercosul. “É uma ação muito positiva, que beneficiaria toda a nossa população fronteiriça, e seria um avanço na integração do bloco”, destaca o deputado Maurício.

O petebista também pretende, durante o mandato discutir e analisar as ações adotadas em outros países, como por exemplo, os impactos da liberação da maconha e os reflexos na segurança do Uruguai e outros temas.

 PARLASUL – O parlamento do Mercosul foi constituído em dezembro de 2006, com o objetivo de fortalecer e de aprofundar o processo de integração regional, contemplando os interesses dos países membros do Mercosul – Brasil, Argentina, Paraguai,  Uruguai e Venezuela (que está suspensa do bloco, mas integra o Parlamento).

O Brasil participa do Parlasul com 37 parlamentares, sendo 27 deputados e 10 senadores com direito a voz, voto e presença em duas comissões.