Inicial / Destaques / Desempregados no Brasil e Estados Unidos assustam

Desempregados no Brasil e Estados Unidos assustam

Print Friendly, PDF & Email

 

A semana começa com o ministro Paulo Guedes, da Economia, com sua luneta assestada no Hemisfério Norte, procurando determinar o impacto da notícia assustadora que vem dos Estados Unidos: neste fim de semana a maior economia do mundo passou a barreira dos 40 milhões de desempregados oficiais, aqueles que pediram o salário desemprego. É a ruina de todo um sistema. 10% da população norte-americana desempregada é um sinal apavorante para as perspectivas da produção e dos serviços para os próximos meses. No mesmo sentido, as previsões de depressão da economia brasileira sinalizam na mesma direção, indicando que o Novo Mundo será gravemente afetado pela pandemia do covid 19 na sua totalidade.

Brasil e Estados Unidos em crise

Brasil e Estados Unidos em crise é um péssimo sinal para nosso continente. As Américas dependem fundamentalmente das economias dos dois gigantes. No caso norte-americano, o mundo interior vai sentir a queda vertiginosa. Nunca, nem mesmo em tempo de guerra, a atividade produtiva teve um mergulho tão profundo em tão pouco tempo.

Receita para a tempestade

Há quatro meses os Estrados Unidos estavam com menos de dois por cento de desemprego e ofereciam à sua população em crescimento econômico perto de quatro por cento.  Já o Brasil ainda não pode medir o impacto da paralização dos negócios e dos serviços. Seja como for, tudo aconteceu com tamanha  rapidez que ainda não deu para sentir. É isto que o ministro Paulo Guedes está procurando captar, antes de apresentar sua receita para o País atravessar a tempestade.

Supremo desafia executivo

Também na política a semana começa sob um leque de dúvidas simultâneas poucas vezes vistas na História do Brasil. Não há um só segmento da vida nacional apontando para cenários claramente identificáveis. Em Brasília, tanto a administração do Executivo, como os outros dois poderes, mostram-se abalados pelas incertezas da conjuntura.  A própria presidência da República foi posta em cheque pelo ministro Celso de Melo, do STF, encaminhando pedido para vasculhar a intimidade do telefone particular do chefe do governo. Com tal ato, o veterano ministro, às vésperas de sua aposentadoria, expõe o tribunal ao risco de desafiar abertamente, por fato sem tamanha relevância, um outro poder da República. Nuvens negras toldam o céu do Planalto Central.

Eleições municipais

Enquanto o judiciário tenta botar o presidente nas cordas, o legislativo deve decidir, nesta semana, sobre um dos temas mais sensíveis do calendário eleitoral: mantém ou adia as eleições municipais deste ano? Para os atuais prefeitos do Extremo Sul interessa manter a data de outubro. Todos são candidatos à reeleição, Rafael Greca, de Curitiba, Gian Loureiro, de Florianópolis e Nelson Marchezan. Com forte exposição nas mídias durante a pandemia, aliviados dos piores momentos pela fraca contaminação na região, os três do Sul já arrancam com os pneus quentes. Pontos a favor.

Pandemia rumo ao sul

Mas não é céu de brigadeiro. A previsão das autoridades sanitárias é que a pandemia deve chegar ao Sul do Brasil a partir da semana que vem. Então os prefeitos e governadores vão se enfrentar com os dramas da covid 19.