Divergência de Opinião | | Edgar Lisboa
Inicial / Notícias / Divergência de Opinião

Divergência de Opinião

Print Friendly, PDF & Email

O Diário Oficial da União publicou hoje (20), o decreto que impõe a aplicação de taxa de 2% de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre aplicações de investimentos estrangeiros no mercado financeiro do país.

Quando entrarem no Brasil, as aplicações estrangeiras pagarão IOF de 2% nos investimentos em renda fixa e bolsa de valores. O objetivo da nova regra é conter a queda do dólar em relação ao real e esquivar-se do excesso de especulação na Bolsa de Valores e no mercado brasileiro de capitais.

“Não estamos taxando investimento externo direto. Estamos taxando única e exclusivamente aplicação”, explica a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Segundo ela, a taxação do IOF não será aplicada em Investimentos Externos Diretos (IED), recursos destinados à parte produtiva da economia (como criar uma fábrica), mas apenas nas aplicações. Este “é um dos mecanismos” adotados pelo governo.

Para o ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega, a medida de taxação do capital estrangeiro é inofensiva e terá efeitos a curto prazo. “O Brasil tem de esquecer essa história de controlar câmbio. Câmbio é coisa passageira. A decisão tem repercussão na opinião pública. Os exportadores se sentem mais confortáveis, mas é inócua para dentro do processo de valorização cambial”, analisa. Nóbrega acredita que o melhor seria o investimento em infraestrutura e na reforma de instituições a longo prazo, pois a tendência de valorização do real é mais forte. “O governo vai se dar conta de que é algo temporário”, alerta o ex-ministro.