10 de dezembro de 2018
Inicial / Destaques / Encontro de ex-ministros da Agricultura
Jair Bolsonaro,Fernando Hadda e Ciro Gomes

Encontro de ex-ministros da Agricultura

Print Friendly, PDF & Email

O ex-ministro da Agricultura Luiz Fernando Cirne Lima volta a Brasília para participar de um ato ligado ao setor. Hoje realiza-se na Capital Federal um encontro de ex-ministros, organizado pelo atual ´titular da pasta, o gaúcho/mato-grossense Blairo Maggi. Cirne Lima é lembrado como o criador da Embrapa, nos anos 1970, que deu a partida na revolução tecnológica do agronegócio, que converteu o País, em poucos anos, de importador de alimentos em grande exportador mundial. Na sua última participação em eventos desta natureza em Brasília, o ex-ministro gaúcho foi condecorado pelo então presidente Lula, em reconhecimento a sua visão estratégica para lançar o Brasil na liderança internacional do setor primário da economia.

Lula ainda alvo de Bolsonaro

Jair Bolsonaro,Fernando Hadda e Ciro Gomes

A semana começou com as discussões em torno da última pesquisa do Datafolha, que mostra uma polarização maior entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). A situação levou, novamente, Bolsonaro a ter como alvo preferido o ex-presidente Lula. O candidato do PSL resgata, do leito do hospital, em São Paulo, a polarização antipetista; velha conhecida de todos. Há três anos ele alimenta essa postura, que, diga-se de passagem, ajudou a fazê-lo crescer. Bolsonaro deixa o, agora, candidato ao Palácio do Planalto, Fernando Haddad, em segundo plano, e volta a mirar em Lula; ainda encarcerado, em cela da Polícia Federal, em Curitiba.

Tentando quebrar polarização

Os demais postulantes à Presidência da República, vem tentando quebrar essa polarização entre os dois candidatos que vem crescendo nas pesquisas. Quem tentou, com força, utilizando o amplo espaço eleitoral no rádio e na TV, foi Geraldo Alckmin (PSDB) mas, os resultados, não foram os esperados. O candidato que mais tem conseguido trincar essa polarização é o pedetista Ciro Gomes. Ele vem repetindo que existe uma polarização entre Haddad e Bolsonaro no segundo turno.

Ciro continua batendo forte

O candidato do PDT tem atirado por todos os lados nas últimas semanas. Disse, em São Paulo, neste domingo, que homens e mulheres “decentes”, não merecem ser obrigados a fazer uma escolha entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), no segundo turno da eleição. Na mais recente pesquisa de intenção de votos, do instituto Datafolha, divulgada na sexta (14), Haddad saltou de 9% para 13% e, empatou com Ciro Gomes, que também soma 13%. Jair Bolsonaro tem 26%.

Metade dos antipetistas com Bolsonaro

A pesquisa Ibope realizada entre os dias 6 e 8 deste mês mostra que metade dos eleitores antipetistas declaram voto no candidato Jair Bolsonaro, (55 das intenções de voto nesta fatia do eleitorado, que soma 44 milhões de pessoas, ou 30% do total de votos). O tucano Geraldo Alckmin, que tem sido o principal receptor deste tipo de eleitor, vem em segundo lugar na preferência dos antiPT, com 9% das intenções de votos, seguido por Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede). O ataque a Bolsonaro impulsionou o voto antipetista, que subiu 12 pontos.

Temor pelas fraudes eletrônicas

Em meio às especulações de que o estado de saúde de Jair Bolsonaro era grave, o candidato, de dentro do hospital, fez uma transmissão, ao vivo, de 20 minutos, em uma rede social; a primeira após ter sido esfaqueado, e surpreende a todos. Revela seu temor de fraude nas eleições por causa da urna eletrônica e, volta seus canhões, bem municiados, contra Lula. Certamente, a polarização vai continuar. É bom para o Bolsonaro, que mantém sua postura que está dando certo e, também para a Haddad (que representa o PT) e que pode manter unida a grande militância petista que, agora, começa a levantar as bandeiras.