Inicial / Outras Notícias / Entidades estudantis apoiam a implementação do ensino politécnic​o no Estado

Entidades estudantis apoiam a implementação do ensino politécnic​o no Estado

Print Friendly, PDF & Email

Estudantes no PiratiniRepresentantes de entidades estudantis reuniram-se, nesta sexta-feira (16), no Palácio Piratini, com a adjunta da Casa Civil, Mari Perusso, e o chefe de Gabinete do Governador, Ricardo Zamora. Além de reforçar o apoio ao Governo quanto aos principais temas discutidos nos últimos meses no Estado e no país – passe livre, destinação dos royalties do pré-sal à educação e renegociação da dívida dos Estados com a União -, a comissão defendeu a implementação do ensino politécnico.

O ensino polítécnico, que é a reestruturação do Ensino Médio feita pela Secretaria da Educação, para aproximar os estudantes do mundo do trabalho, começou em 2012 para o 1º ano, em 2013 já atinge os alunos do 2º ano e, em 2014, estará implementado também no 3º ano e universalizado nas séries finais da educação básica.

Ao garantir que o Governo apoia a pauta trazida pelos estudantes, Mari reiterou que o Executivo quer contribuir com o debate para melhorar a educação gaúcha com a participação da população. “É importante esta discussão sobre o ensino politécnico e a questão da renegociação da dívida do Estado. O governador Tarso Genro tem pautado isso, além da questão do destino os royalties do petróleo para a educação”.

Além de ressaltar que o Governo tem reforçado o diálogo com os movimentos estudantis organizados – por meio do Conselhão e do Gabinete Digital -, Mari explicou que o ensino politécnico prepara os alunos para o mercado de trabalho. “O ensino multidisciplinar trabalha mais os estudantes para a realidade atual do trabalho e da exigência necessária ao ingresso na universidade”.

Presidente da União Gaúcha de Estudantes (UGEs), Nelson Soares de Almeida reconheceu os benefícios das modificações e afirmou que a UGEs defende a reforma no Ensino Médio. Almeida destacou que o projeto, para ser colocado em prática, precisa de estrutura, investimento e acompanhamento do Estado. “Estamos à disposição para discutir com a sociedade, os estudantes e o Governo, a implementação do ensino politécnico.”

Vice-presidente da União Nacional dos Estudantes do RS, Alvaro Lottermann afirmou que a comitiva também pediu o apoio do Governo gaúcho para engrossar a luta pela destinação dos royalties do pré-sal para a educação. “Reconhecemos a importância dos governos estaduais estarem comprometidos com esta pauta para conseguir de fato consolidar esta conquista, que vai permitir que nós cheguemos aos 10% do PIB para a educação”.

Texto: Felipe Bornes Samuel

Foto: Gustavo Gargioni/Especial Palácio Piratini