19 de dezembro de 2018
Inicial / Repórter Brasília / Fugiu da raia

Fugiu da raia

Print Friendly, PDF & Email

Com Lula quase fora da disputa, o “centrão”, ou o centro direita (como queiram), busca um candidato que possa vencer o pleito de outubro. Sem Geraldo Alckmin decolar nas pesquisas, e com a indecisão que paira sobre o PSDB – se quem concorre é ele ou João Doria – outros nomes passaram a ser cogitados também pelo MDB. Um dos mais fortes até agora, seria o do ex-ministro Nelson Jobim. Assustado com o tamanho da repercussão do seu nome, Jobim pediu férias de 30 dias ao BTG Pactual – onde trabalha atualmente – e se mandou para a Europa. Desta forma, todos podem ter certeza: não teremos um gaúcho presidente do Brasil. Taí uma coisa que eu não via faz tempo: um gaúcho fugir da raia…

Vitória dos caminhoneiros

Para o deputado Heitor Schuch (PSB-RS), os caminhoneiros e todos os que tem a necessidade de utilização de óleo diesel, no seu insumo básico de trabalho, foram amplamente vitoriosos na mobilização que foi feita. O deputado cobra definição do Parlamento sobre as medidas provisórias que já estão em vigor. Cita, por exemplo, a que “mexe com o número de pontos nas carteiras de habilitação. Hoje com 21 pontos o motorista perde a carteira de motorista”. Segundo Schuch, tem um outro projeto que eleva para 30 a pontuação para suspender a habilitação. “É uma questão que a Câmara já deveria ter votado, até no sentido de também mostrar solidariedade ao movimento”.

Segurança nas estradas

Outro assunto que, na avaliação de Heitor Schuch, a Câmara dos Deputados tem que se posicionar com força e, está em projeto já no parlamento, “trata-se sobre definir alguma coisa no regramento dos fretes, no que tange a furtos, roubos e assaltos”. Segundo o deputado, isso está demais hoje em dia, “o caminhoneiro sai de casa e não sabe se volta, e não é por ele; é pelo que ele está transportando”. O deputado defende um endurecimento maior da pena no sentido de que quem assaltar motorista, roubar as cargas, como a gente tem visto pela imprensa todos os dias; “tem que ter uma pena um pouco maior do que tem hoje”. E conclui: “senão esse pessoal vai se sentir ainda sempre muito estimulado a continuar com esse tipo de crime”.

Compromisso com as reformas

O manifesto Por um Polo Democrático e Reformista, que defende a união do centro político como uma maneira de viabilizar eleitoralmente uma candidatura presidencial comprometida com as reformas que o País necessita, foi lançado, em Brasília, com as sugestões de três dezenas de políticos e intelectuais de diversos partidos: PSDB, MDB, PSD, PPS, PV e PTB. Com palavras de defesa do documento, o ex-presidente tucano, Fernando Henrique Cardosos disse que “é um chamado à consciência sobre a gravidade do momento atual”.

Presidenciáveis ausentes

O documento, entre outras medidas, apresenta sugestões à reforma da Previdência, com adoção de um sistema único para servidores e trabalhadores da iniciativa privada; e a tributária, sem aumento de impostos. Propõe ainda a recuperação do caráter educacional do programa Bolsa Família. Apesar da relevância da iniciativa que apresenta alguns dos desafios para o próximo governo, nenhum pré-candidato presidencial compareceu ao evento. É lamentável.