23 de outubro de 2018
Inicial / Outras Notícias / Governo do Distrito Federal amplia parcerias com Embrapa
Governo do Distrito Federal amplia parcerias com Embrapa - Blog Edgar Lisboa. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Governo do Distrito Federal amplia parcerias com Embrapa

Print Friendly, PDF & Email

A Terracap entregou escrituras de doação de terrenos do DF ocupados pelo órgão federal. Já a FAP oficializou cooperação que permite instalar a empresa de pesquisa no complexo do Biotic.

Na comemoração dos 45 anos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), nesta terça-feira (24), o governo de Brasília ampliou parcerias com a instituição de inovação tecnológica, que é vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) entregou à União escrituras públicas de doação de áreas do DF que são ocupadas pela Embrapa Sede e pela Embrapa Cerrados.

Já a Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP-DF) oficializou termo de cooperação que permitirá a instalação da empresa no Parque Tecnológico de Brasília (Biotic).

O governador Rodrigo Rollemberg destacou as contribuições da Embrapa para Brasília. “A área [da Embrapa Cerrados] há dezenas de anos é usada para pesquisas. O trabalho deles contribuiu para transformar o solo do Cerrado em extremamente produtivo.”

A solenidade de hoje — que teve ainda lançamentos de pesquisas e livros — ocorreu no auditório da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. O governador participou do evento ao lado do presidente da empresa, Maurício Antônio Lopes, e outras autoridades, e entregou prêmio a homenageados pela contribuição ao setor agropecuário.

Com a regularização promovida agora, Rollemberg pontuou que haverá mais segurança para que a empresa desenvolva suas pesquisas.

Uma das escrituras corresponde a 33 hectares, onde fica a sede da Embrapa, na Asa Norte. A outra é referente a mais de 200 hectares, na região administrativa de Planaltina, local que abriga a unidade Cerrados.

O presidente da Terracap, Júlio César Reis, explicou que com isso a empresa passa a ser a proprietária dos locais. “Esse é o último passo da regularização fundiária. A Embrapa ocupa cinco grandes áreas no DF, quatro eram de propriedade do DF e passam a ser da empresa”, afirmou.

Além das escrituras, foi assinado um termo de cessão de uso para uma das áreas da Embrapa Cerrados. A expectativa é que a escritura definitiva desse espaço seja disponibilizada em 90 dias.

No evento, o presidente da empresa de pesquisa agradeceu o apoio do governador e a contribuição dos funcionários e colaboradores nos resultados alcançados desde a criação da instituição, em 26 de abril de 1973.

Embrapa no Biotic

No Parque Tecnológico de Brasília, a Embrapa terá um espaço de 400 metros quadrados. Ela ficará instalada no mesmo edifício onde funcionará a FAP-DF e o Sebraelab.

A área total do Biotic tem 1,2 milhão de metros quadrados e fica entre a Granja do Torto e o Parque Nacional de Brasília. Já funcionam no local o datacenter do Banco do Brasil e o da Caixa Econômica Federal, além de uma subestação da Companhia Energética de Brasília (CEB).

“[A assinatura do termo de cooperação] é um passo fundamental para colocar a Embrapa como uma âncora no Biotic. A presença dela dá uma grande sinalização da vocação desse parque tecnológico, que é a bioeconomia”, avaliou o presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP), Tiago Coelho.

A inauguração do Biotic está prevista para maio. Três editais foram lançados—, um para selecionar instituições científicas, tecnológicas e de inovação que vão ocupar o edifício-sede, outra seleção de empresas de base tecnológica, que tenham atuação nas áreas de tecnologia da informação, telecomunicações e biotecnologia e um terceiro para selecionar a gerência da Agência de Inovação.

O governador relembrou a colaboração da Embrapa no debate para efetiva criação do parque tecnológico e que, por sugestão da empresa, houve alterações nas áreas abrangidas.

Criado em janeiro de 2017, o Biotic — Parque Tecnológico visa concentrar cerca de 1,2 mil empresas dos ramos da tecnologia da informação e comunicação e da biotecnologia, com potencial para criar mais de 25 mil empregos diretos.

lei sancionada pelo governador Rodrigo Rollemberg alterou outra, publicada em 2002, que previa a instalação apenas de empresas ligadas às áreas de tecnologia da informação e telecomunicações, e dava o nome ao complexo de Capital Digital.

Fonte: Agência Brasília