Inicial / Notícias / Iges-DF prevê mais de 150 ações para a saúde local
Iges-DF prevê mais de 150 ações para a saúde local - Blog Edgar Lisboa. Foto: Andre Borges/Agência Brasília.

Iges-DF prevê mais de 150 ações para a saúde local

Print Friendly, PDF & Email

O presidente do Instituto de Gestão Estratégica da Saúde do DF (Iges-DF), Francisco Araújo, entregou ao governador Ibaneis Rocha o plano de trabalho para 2019. O documento de 43 páginas define ações para incremento, adequação e otimização de serviços e da gestão do Hospital Regional de Santa Maria e das seis Unidades de Pronto Atendimento do Distrito Federal. O secretário de saúde, Osnei Okumoto, também participou da reunião.

As mais de 150 ações previstas envolvem as áreas de Recursos Humanos, Apoio Operacional, Educação e Pesquisa e Assistência. Mais de um terço delas não terá qualquer custo para a Secretaria de Saúde.

As atividades foram separadas em planilhas, numa espécie de checklist, e têm prazo de execução até dezembro. Em virtude da similaridade entre as UPAs, a programação para elas foi consolidado em um único modelo. O Hospital de Santa Maria conta com tarefas específicas.

Agora, o Instituto irá celebrar contrato com a Secretaria de Saúde para a execução das tarefas. O prazo para a conclusão do termo de gestão, conforme decreto n° 39.674/2019 , é de 120 dias da data de entrega deste plano de trabalho.

Atualmente, o Iges-DF é responsável por oito unidades: o antigo Hospital de Base, o Hospital Regional de Santa Maria e as seis Unidades de Pronto Atendimento (Ceilândia, Núcleo Bandeirante, Recanto das Emas, Samambaia, São Sebastião e Sobradinho).

Recursos Humanos
A parte de Recursos Humanos foi dividida entre Gestão e Governança e Desenvolvimento e Capacitação de Colaboradores. O apoio operacional atinge nove temas, entre eles manutenção predial, engenharia clínica, hotelaria, segurança, farmácia e outros.

O ramo de ensino e pesquisa terá espaço de ensino e estágios curriculares, pesquisas clínicas e avaliação de tecnologias em saúde (ATS) e protocolos assistenciais e educação permanente.

Uma das atividades previstas é a identificação de servidor em desvio de função nas UPAs. Ela será feita a partir de um mapeamento de atribuições x cargo ocupado.

Apoio Operacional
Esse ramo do plano foi dividido em nove blocos: Hotelaria, Segurança, Farmácia, CME, Almoxarifado, Patrimônio e Tecnologia da Informação. No rol de serviços a serem feitos nas UPAs está a implantação do Circuito Fechado de Televisão (CFTV), com custo a ser estimado, a aquisição de lavadoras e computadores, e a contratação de pessoal para a Farmácia Popular.

Ensino e Pesquisa
Foi estruturada em Ensino: espaços de ensino e estágio curriculares; Pesquisa: clínica e avaliação de tecnologias em saúde (ATS); e Gestão do conhecimento: protocolos assistenciais e educação permanente.

Assistência
Por ser tratar de área finalística, acaba tendo reflexos de todas as ações realizadas. Cada meta cumprida dos setores impacta direta e indiretamente na assistência.

Blog Edgar Lisboa,com informações da Agência Brasília