Inicial / Outras Notícias / Letícia Dal-Ri lança livro em Gramado neste sábado

Letícia Dal-Ri lança livro em Gramado neste sábado

Print Friendly, PDF & Email

Letícia Del-RiO lançamento do livro “Uma janela para nove irmãos”acontecerá a partir das 16 horas deste sábado (6), na Livraria Café Conceito, em Gramado.A obra, que conta a história de uma família de imigrantes italianos e alemães de Gramado, é de autoria de Letícia Dal-Ri, conhecida no cenário cultural brasileiro por ter participado da produção da novela “Belíssima” e da minissérie “Amazônia: de Galvez a Chico Mendes”, ambas na TV Globo, e dos espetáculos de teatro “Encontro com Fernando Pessoa”, “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, “A Marca do Zorro” e “As Paparutas”. Nascida em São Paulo, Letícia é filha de uma gramadense e resumiu no romance as principais passagens de sua infância na casa da família em Gramado.

 Uma janelaInspirado livremente em fatos reais, “Uma janela para nove irmãos” é narrado através das memórias guardadas na casa em que tudo aconteceu, na famosa Borges de Medeiros, principal avenida de Gramado. Em uma época em que os recursos são escassos, a casa torna-se a única narradora capaz de contar com veracidade de detalhes a trajetória de Adela enquanto embala, cria e educa seus filhos. Conforme as crianças crescem, os cômodos da casa são preenchidos com suas histórias. Suas paredes, portas, janelas e cômodos tornam-se testemunhas dos acontecimentos. A casa torna-se sua única cúmplice e companheira.

A AUTORA

Gestora, produtora cultural, escritora e turismóloga, Letícia Dal-Ri é neta de Nelson Dal-Ri e Ione Dal-Ri. Passou toda a infância frequentando a casa que tornou-se narradora desta história. Perdeu a avó quando tinha apenas 14 anos e, desde então, participou como ouvinte de todas as memórias e lembranças narradas pelos tios em encontros de família. Foi a partir destas reuniões que decidiu dedicar-se a contar esta história.

 TRECHOS DO LIVRO

 “Guardo em minhas paredes, portas, janelas e cômodos cada pedaço de uma história que durou pouco mais de meio século. Eu ainda era jovem e tinha estrutura um pouco gasta quando eles aqui me habitaram. Foi em meus aposentos que garantiram abrigo e em meu aconchego que começaram a construir uma grande família. Aos poucos vi todos crescerem e sofri com as estripulias de nove filhos. Enchi meus varais de fraldas e meus quartos de beliches e alegrias. Amedrontei-os com histórias de fantasmas quando criava canções com o vento que batia em minha janela.”

“Por minhas frestas ouve o silêncio da Borges de Medeiros e segue com os olhos a sombra das poucas pessoas que caminham na calçada durante o rigoroso inverno. Seu silêncio é embalado pelo som das mariposas que dão voltas na iluminação da rua, pelo vento que sopra lá fora ou pelo frio que insiste em estalar minhas tábuas.”