21 de Maio de 2018
Inicial / Destaques / Maconha legal agravou o tráfico de drogas no Uruguai

Maconha legal agravou o tráfico de drogas no Uruguai

Print Friendly, PDF & Email

                 A imprensa uruguaia registra o aumento preocupante na fronteira com o Brasil, decorrente da guerra de quadrilhas de traficantes de drogas como maconha, crack e cocaína. Cidades como Chuy, ou mais no interior, Minas e San Carlos, viraram locais de crimes sangrentos. A notícia saiu no jornal  El Observador, de Montevidéu, no dia 9 de maio.

                 O deputado federal Osmar Terra (PMDB-RS), crítico da liberação da maconha, diz:

               – A situação chegou ao ponto de o exército uruguaio ser chamado para ajudar a polícia no combate ao narcotráfico, especialmente na fronteira com o Rio Grande do Sul.

O parlamentar adverte que as autoridades uruguaias reconhecem o fracasso do controle legal da maconha, pois apenas 15% dos consumidores usam os meios legais de venda da droga:

– De acordo com dados oficiais – prossegue Terra – . 23.161pessoas estão cadastradas para comprar nas poucas farmácias que vendem a tal “maconha legal” e 147 mil compram de traficantes, o que agrava a insegurança, aumenta o número de homicídios e guerra de gangues. Os dados são do Instituto de Regulación y Control del Cannabis (Ircca) e divulgados pela Junta Nacional de Drogas. Não sou eu, mas o governo uruguaio que reconhece o tremendo fracasso da liberação, uma ideia disparatada de José Mujica.

Os consumidores registrados compram maconha em 12 das 1.200 farmácias do país. Eram 16, mas algumas saíram do negócio devido às restrições dos bancos comerciais  em operar com empresas ligadas ao negócio:

– A maioria recusou ser identificada como boca-de-fumo – prossegue Osmar Terra -. São locais de vendas de medicamentos que favorecem a saúde e não quiseram vender algo que faz mal.

O Uruguai tem 8.418 cultivadores privados registrados e 90 clubes de consumidores. Os plantadores domiciliares podem ter até seis pés, mas como o controle é praticamente impossível, o limite excedido se junta ao tráfico. Terra alerta:

– A legalização da droga não acabou com o tráfico, pelo contrário, aumentou a guerra de gangues, especialmente na fronteira com o Rio Grande do Sul.  O presidente do Uruguai, Tabaré Vazquez, médico de formação, já se declarou contra a liberação da drogas, mas nada fez para revogar a lei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *