22 de novembro de 2017
Inicial / Repórter Brasília / Marconi Perillo diz a Tasso que disputará presidência do PSDB em dezembro

Marconi Perillo diz a Tasso que disputará presidência do PSDB em dezembro

Print Friendly, PDF & Email

Governador de Goiás se reuniu com presidente interino do PSDB nesta quarta (1º), no Senado. Eleição do partido está marcada para 9 de dezembro.

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) (Foto: Gustavo Aguiar/G1)

O governador de Goiás, Marconi Perillo, disse nesta quarta-feira (1º) ter informado ao presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), que disputará presidência do partido em dezembro.

A Convenção Nacional do PSDB está marcada para 9 de dezembro. Ainda não há, oficialmente, candidatos ao posto. Mas, segundo o colunista do G1 e da GloboNews Gerson Camarotti, Tasso também já sinalizou a aliados que disputará a presidência da legenda.

“Me coloquei como candidato a presidente. Conversamos sobre uma série de medidas que precisam ser adotadas pelo partido daqui para frente, principalmente de alguma maneira para trazermos a militância e levarmos propostas novas que possam sensibilizar a sociedade”, afirmou Perillo nesta quarta.

“Vim dizer a ele a vontade de contribuir com o partido e o desejo de trabalhar para valer e me dedicar mais a um partido que já fez tanto por mim, mas respeitando o senador Tasso. Daqui pra frente vamos conversar muito na busca da unidade”, acrescentou.

As declarações foram dadas pelo governador de Goiás logo após ele se reunir com Tasso Jereissati, no gabinete do senador.

Ao deixar o encontro, Tasso foi questionado sobre se também disputará a presidência do PSDB.

O senador, então, respondeu: “Eu não me coloquei como candidato em nenhum momento. Falei que tenho forte identidade política com determinadas ideias dentro do partido, em uma determinada corrente. Essas correntes que vão prevalecer [na convenção].”

Na avaliação de Tasso, ele e Perillo têm “afinadades políticas” e, segundo o senador, “os dois querem a união do partido.”

“Nenhum tem vontade de disputar nada com o outro, brigar, pelo contrário”, completou.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

Licença de Aécio Neves

Desde 2013 o PSDB era comandado pelo senador Aécio Neves (MG).

Mas, em maio deste ano, quando se tornaram conhecidas as delações da JBS, Aécio se licenciou do cargo. Ele foi um dos principais políticos atingidos pelas delações.

Na ocasião, Aécio indicou para a função o senador Tasso Jereissati, que desde maio é o presidente interino do PSDB.

Nesses últimos meses, Aécio Neves foi afastado do mandato parlamentar duas vezes, por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), mas conseguiu retornar ao Senado.

Diante desse cenário, uma ala tucana passou a defender que Aécio, licenciado da presidência do PSDB, renunciasse. Mas Aécio informou que não renunciará nem reassumirá o comando da legenda.

Com isso, Tasso Jereissati comandará o PSDB até dezembro, e o presidente que vier a ser eleito chefiará o partido pelos próximos 2 anos.(G1)