Inicial / Outras Notícias / Médico que destratou atendente de cinema terá que indenizá-la em R$ 50 mil

Médico que destratou atendente de cinema terá que indenizá-la em R$ 50 mil

Print Friendly, PDF & Email

O médico Heverton Octacílio de CamposMenezes, que, em 2012, fugiu de um shopping depois de ofender a funcionária de um cinema, foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT )a pagar R$ 50 mil a Marina Serafim dos Reis por danos morais.

Ao analisar o caso, a juíza da 12ª Vara Cível de Brasília entendeu que o réu feriu o direito de personalidade da autora, uma vez que proferiu palavras grosseira, ofendendo a imagem dela em público e, como consequência, causou-lhe um constrangimento que merece compensação. Verifica-se, assim, que o réu cometeu ato ilícito, na forma do art. 187 do Código Civil. Por entender que teve preterido o seu atendimento, adotou um comportamento desrespeitoso com a autora, constrangendo-a com agressões verbais, inclusive fazendo referência à sua etnia, acrescentou. No ano passado, ele também acabou condenado por injúria e recebeu uma pena que foi cumprida com medidas alternativas.

Da decisão, ainda cabe recurso.

Na fila do cinema

O médico foi acusado de injúria racial após agredir Marina verbalmente, em 29 de abril de 2012. Conforme testemunhas, ele queria passar na frente de outras pessoas na fila, alegando que estava atrasado para a sessão,mas a funcioária não permitiu. Entre outros termos,ele disse que a jovem deveria estar na África cuidando de orangotangos. Menezes foi reconhecido pela polícia com uso de imagens das câmeras de segurança do shopping. Ele respondeu a inquérito instaurado pela 5ªDP e acabou indiciado por injúria qualificada. Menezes disse que tudo não passou de um mal entendido.

Correio Braziliense