Inicial / Outras Notícias / Ministro pede empenho de órgãos parceiros na divulgação da Canpat 2018

Ministro pede empenho de órgãos parceiros na divulgação da Canpat 2018

Print Friendly, PDF & Email

Albino Oliveira/ ASCOM/ Ministério do Trabalho

Os adoecimentos ocupacionais e as quedas em altura são os focos da Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Canpat), lançada pelo ministro- interino do Trabalho, Helton Yomura, nesta quarta-feira (4) em Brasília. Ele adiantou que o ministério vai intensificar ações de fiscalização de abril a novembro em todo o país para diminuir a incidência de acidentes e lembrar trabalhadores e empregadores da necessidade de uma consciência sobre a gravidade do tema.

“Os temas foram escolhidos para a campanha deste ano pela sua relevância e serão tratados como prioridade pela Inspeção do Trabalho em 2018, principalmente porque notamos uma grande subnotificação ao Ministério do Trabalho dos acidentes relacionados a estes setores que vitimam milhares de trabalhadores”, ressaltou.

Segundo Yomura há um desconhecimento muito grande em relação às doenças causadas pelo trabalho. Ele pediu a todos os participantes no lançamento da campanha para que divulguem nos seus locais de trabalho, nas empresas ou nos sindicatos de trabalhadores a necessidade de uma conscientização sobre o tema, principalmente pelos alarmantes números de acidentes que não são comunicados. “É uma conta que todos nós pagamos, desde o afastamento por doença, mutilações e até mortes que são impactantes tanto para o acidentado, quanto para a empresa e para o governo.”

A secretária de Inspeção do Trabalho, Maria Teresa Pacheco Jensen, frisou a necessidade de as empresas comunicarem ao governo todos os acidentes. “Muitas empresas registram apenas casos de acidentes típicos, quando a relação entre a lesão e o acidente é mais evidente, como é o caso de fraturas, mas tendem a não reconhecer o adoecimento em decorrência do trabalho, como os transtornos mentais e os distúrbios musculoesqueléticos, que também afastam trabalhadores e podem causar danos permanentes. As notificações representam menos de 2% das comunicações no país e 1% dos óbitos”, ressaltou.

Segundo informou a secretária, as quedas com diferença de nível chamam a atenção pela gravidade. Das 349.579 Comunicações de Acidentes de Trabalho (CATs) entregues ao INSS em 2017, referentes a acidentes típicos e doenças – desconsiderados os acidentes de trajeto – em 37.057 a causa envolveu quedas com diferença de nível (10,6% do total). Se contabilizados acidentes fatais, das 1.111 mortes, 161 foram causadas por quedas (14,49 % do total).

Dados do Boletim Estatístico da Previdência de fevereiro deste ano demonstram que ocorreram 18 mil acidentes no mês, sendo emitidos 16 mil auxílios-doença. Em 2017, de acordo com números preliminares do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), foram concedidos 196.754 benefícios a trabalhadores que precisaram ser afastados das atividades profissionais por mais de 15 dias devido a algum problema de saúde ocasionado pelo trabalho. A média foi de 539 afastamentos por dia.

“É urgente que a sociedade se conscientize da gravidade desse problema”, acentuou a secretária, destacando que vários prédios públicos e privados em todo o país vão estar iluminados de verde a partir de hoje para lembrar a importância do tema.

Órgãos parceiros presentes ao lançamento, como Ministério Público do Trabalho, Secretaria da Previdência e também entidades sindicais de trabalhadores e patronais, elogiaram o resgate da campanha pelo ministério desde o ano passado, ressaltando que vão se empenhar junto com o governo para reduzir os números de acidentes no país.