Inicial / Notícias / Missão empresarial brasileira
Visitará portos na Alemanha

Missão empresarial brasileira
Visitará portos na Alemanha

Print Friendly, PDF & Email

Conhecer as áreas de expertise germânica nos setores de operação e dragagem portuária, além do potencial para cooperação no setor de construção naval. Estas são as principais metas da missão empresarial brasileira que visitará a Alemanha de 24 a 31 deste mês, liderada pelo Secretário Especial de Portos Ministro, Pedro Brito (foto).

Pedro Brito (Foto: Divulgação)

Na agenda, a participação brasileira no XXVIII Encontro Econômico Brasil-Alemanha, no dia 31 de maio próximo. O Brasil é o principal parceiro comercial da Alemanha na América Latina. Em 2009, a Alemanha investiu US$ 2,5 bilhões no Brasil, o que representou 7,8% dos investimentos recebidos pelo País, e tornou a Alemanha o quarto maior investidor no Brasil no ano passado.

Nos dois primeiros meses de 2010, o fluxo de investimentos diretos brasileiros para a Alemanha somou US$ 17 milhões, mais de oito vezes o valor total de investimentos diretos realizados pelo Brasil naquele País durante o ano de 2009. Na atualidade, a Alemanha torna-se o 12º maior receptor de investimentos brasileiros no período. Em 2009, o fluxo total de investimento brasileiro para a Alemanha foi de US$ 2 milhões.

Projeto de atividades

Em 2007, o Ministério das Relações Exteriores (MRE) iniciou projeto de atividades para promover a atração de investimentos para o setor portuário brasileiro, que movimenta, anualmente, cerca de 700 milhões de toneladas e que equivale a mais de 90% das exportações brasileiras.

Objetivo do projeto: a modernização dos portos por meio da atração de investimento para o setor com vistas a aperfeiçoar a cadeia logística, eliminar os gargalos encontrados no escoamento da produção, reduzir o “Custo-Brasil” e melhorar a infra-estruturar portuária e o acesso aos portos.

O MRE enfatiza que a redução dos custos de logística de carga no Brasil é uma condição fundamental e necessária para que o País obtenha maiores ganhos de custo-eficiência e alcance taxas de crescimento sustentáveis. (Carlos Eduardo Behrensdorf, da AgênciaTexto Final de Notícias)