Inicial / Repórter Brasília / O caminho da Reforma da Previdência

O caminho da Reforma da Previdência

Print Friendly, PDF & Email
Darcísio Perondi

A Reforma da Previdência começa a trilhar o difícil e tortuoso caminho no Congresso Nacional, num momento difícil para o governo, tanto pelos problemas gerados em sua própria base, quanto pelas dificuldades que encontrará na Câmara e no Senado, para aprovar o projeto, apesar da disposição positiva e a conscientização dos parlamentares a respeito da importância da Reforma.

Semana de Páscoa

A prova de que o governo está pronto para implementar as mudanças que o País exige, com a retomada do crescimento e a redução do desemprego, será a aprovação da Reforma da Previdência. Apesar do avanço que a proposta encontra no Congresso, as categorias com poder de pressão, respaldadas por alguns partidos políticos, voltam à carga após a Semana de Páscoa.

Clima melhor que o anterior

O deputado Darcísio Perondi (MDB-RS) destacou o avanço da Reforma Previdenciária, que passou com boa margem na Comissão de Constituição e Justiça, apesar de uma oposição “aguerrida, mas desinformada e com um kit obstrução pesado”. O congressista comemora que o relator leu o relatório sem nenhuma mudança. “Isso é um avanço”. Segundo o parlamentar, “o clima está bem melhor, comparativamente à Proposta apresentada pelo ex-presidente Michel Temer. Ninguém é contra e o governo está aberto à discussão”, acentuou. A expectativa, na avaliação do experiente deputado, é que a proposta vá a Plenário em meados de junho.

Espaço para todos

Darcísio Perondi explica que, segunda-feira (15) começam efetivamente os debates na CCJ da Câmara. O presidente da Comissão, deputado Felipe Francischini (PSL-PR) convocou para as 14h30min, o início dos trabalhos. “Todos os escritos falarão, um a favor e um contra. E para deputados não membros, dez deputados não membros de um lado e dez deputados membros do outro lado”. Era quinze minutos para cada deputado, e, segundo Perondi, “fizemos um acordo de dez minutos para cada um. Nós achamos que vamos discutir até meia noite, ou duas horas da madrugada de segunda para terça”.

Kit obstrução

Na opinião do emedebista, “na terça-feira (16) de manhã, se discute, e às duas e meia encerra a discussão e vamos para a votação. Nós queremos votar isso até terça de noite. A oposição queria adiar para quarta-feira (17), mas se a oposição garantisse que não faria kit obstrução, daria para votar quarta, mas a oposição quer levar para a outra semana; numa operação de procrastinação”, antecipou o deputado.

Comissão Especial

A tendência é que passará na CCJ. Antes do Plenário tem a Comissão Especial, que ainda não foi montada. Será criada na semana que vêm, dia 17, após votação do dia 15. Para Darcísio Perondi, “a Comissão Especial já começa a funcionar na última semana de abril”. O parlamentar chama atenção que, “no paralelo, o presidente Bolsonaro começou a conversar com todos os líderes e com os presidentes de partidos”. Na avaliação de Perondi, o presidente busca uma aproximação, “ele fez a primeira parte do governo dele; escolheu a sua equipe, escolheu os ministros, e agora vai para a segunda etapa de conversar com os presidentes dos partidos para conhecer melhor todo mundo. É o segundo tempo. E temos o tempo de plenário”, assinalou.