Inicial / Outras Notícias / “O corpo é nosso”, que estreia no Cine Brasília, convoca as mulheres para enfrentar o machismo

“O corpo é nosso”, que estreia no Cine Brasília, convoca as mulheres para enfrentar o machismo

Print Friendly, PDF & Email

Drama sobre escolha política da juventude na Europa chega às telas com “Adeus à noite”; “Bacurau” segue em cartaz

Os destaques da programação que muda no Cine Brasília a partir de quinta-feira (12) são a docficção “O corpo é nosso”, da diretora carioca Theresa Jessouroun, e o drama francês dirigido pelo premiado André Téchiné. Não menos em relevo, segue em horário nobre “Bacurau”, deixando na sua esteira salas lotadas.

“Tomar de volta nosso corpo, na marra”. Assim é que uma das mulheres entrevistadas na docficção brasileira se manifesta sobre machismo e patriarcalismo num Brasil marcado pelo feminicídio. Ainda que o filme flerte com certo didatismo e uma avalanche de depoimentos que buscam criar identificação, o longa é superoportuno.

Já o drama filmado por Téchiné revisita a beleza plástica e o lirismo de narrativa que caracterizam esse seguidor de Truffaut. Ele escala ninguém menos que a eternamente musa Catherine Deneuve para fazer a audiência pensar que amor combina com tolerância, e que este é um dos sentimentos que não podem ser esquecidos quando se tratar das escolhas da juventude.

“O corpo é nosso”

De Theresa Jessouroun (2019, documentário, Brasil, 85 minutos, 14 anos)

Sinopse: A trajetória da liberação do corpo da mulher brasileira. Utilizando-se do conceito “docficção” (ou “docudrama”) incorpora o drama do jornalista Marcos que, na sua pesquisa, faz uma descoberta impactante sobre seu passado. Ao assistir as entrevistas e o material deste filme, em um exercício de metalinguagem, ele faz uma autorreflexão sobre racismo, machismo e patriarcalismo impregnados nele.

“Adeus à noite” (L’adieu à la nuit)

De André Téchiné (2019, drama, França, 104 minutos, 12 anos)

Sinopse: Muriel (Catherine Deneuve) está emocionada ao ver Alex (Kacey Mottet Klein), seu neto, que veio passar alguns dias na casa dela, antes de ir morar no Canadá, destino que não é o que o jovem tem em mente. Na realidade, ele foi convencido pela namorada a abraçar uma causa religiosa-política no oriente médio.

“Bacurau”

De Juliano Dornelles, Kleber Mendonça (2019, drama/ficção, Brasil/França, 132 minutos, 16 anos)

Sinopse – Num futuro recente, Bacurau, um povoado do sertão de Pernambuco, some misteriosamente do mapa. Quando uma série de assassinatos inexplicáveis começa a acontecer, os moradores da cidade tentam reagir. Mas como se defender de um inimigo desconhecido e implacável?

Programação de 12 a 18 de setembro. Na segunda, 16, e na terça, 17, não há sessões.

16h – O corpo é Nosso

18h – Adeus à Noite

20h – Bacurau

Ingressos a R$ 12 (inteira); a bilheteria não aceita cartões, apenas dinheiro.

Endereço: Asa Sul, entrequadra 106/107.
Telefone: (61) 3244-1660.

Blog Edgar Lisboa, com informações da Assessoria de Comunicação Imprensa Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *