Inicial / Destaques / O Laranjão vai à reunião de condomínio (Humor)

O Laranjão vai à reunião de condomínio (Humor)

Print Friendly, PDF & Email
O Laranjão vê no elevador o ofício “Assembléia Extraordinária blá blá blá neste sábado às 9hs…”.
Era o dia de folga do Laranjão e ele vai ter que levantar mais cedo para ir na reunião. Vai ter que comparecer porque ele está pedindo a 7 meses para mudarem a lâmpada queimada do seu andar e quer ver se isso será discutido na Assembléia. Chateado porque vai ter que levantar mais cedo, mas com expectativa por causa da lâmpada queimada.
Sábado. Chega o Laranjão à Assembléia do Condomínio. Senta-se na primeira fila, mas atrapalhando o trânsito dos outros condôminos.
“Com licença”, pede um senhora. “ Com licença”, pede um jovem. “Com licença”, pede um senhor”. E foi assim por 38 vezes O Laranjão se levantando do lugar para os outros passarem. Atrás dele havia 8 cadeiras vagas sem estar na passagem.
Começa a reunião. O Laranjão levanta a mão mas o presidente da Assembléia diz que para perguntar é só quem se inscreveu com antecedência. O Laranjão abaixa a mão.
E o presidente: “Conforme a ata da última Assembléia fica aprovado o conserto do portão da piscina para que as crianças não corram na área e possam acontecer acidentes, quem for a favor levante a plaquinha com o número do seu apartamento”.
Quase por unanimidade é aprovado o conserto, mas na hora de levantar a plaquinha, O Laranjão deixa a sua placa com o número do apartamento cair no chão.
Ele tenta pegar rápido a placa e quando levanta o presidente da Assembléia já está na outra pergunta:”- E quem é contra o conserto do portão da piscina por causa das crianças levante a placa”. O Laranjão, sozinho, atrasado, levanta a placa com o número do seu apartamento.
Todos olham para o Laranjão.
“- O senhor do 303, por favor, pode nos dizer porque é contra o conserto do portão que vai impedir com que as nossas crianças se afoguem? Pode?”
O Laranjão vai tentar responder, mas outros condôminos começam a falar:
“- Ele deve ser contra porque não tem filho e não está nem aí para viver em comunidade”;
“-Eu conheço esse cara, ele é muito estranho, já vi ele fazendo careta no elevador pelos monitores de TV que ficam na portaria”, diz o senhor do 701;
O Laranjão tenta justificar, mas toda hora alguém fala antes dele.
“- Eu acho que esse cara é pedófilo, vi ele atravessando a rua de mãos com um menininho”, grita um morador;
“- É o meu sobrinho, ô rapaz, se liga”, grita alto O Laranjão.
“- Meu Deus, o cara é descontrolado. Olha o grito que deu. Síndico, não tem multa para quem grita no prédio? O cara não quer ter cuidado com nossas crianças mas acha que pode gritar desse jeito. E o horário do silêncio, hein? Gritando desse jeito. Agora eu sei quem acorda todo mundo gritando”, fala pausadamente o senhor do 205.
“- Ahhhhh, é ele que grita então?”, questiona a senhora do apartamento 101. “- Muito incômodo, senhor”, completa ela.
O Laranjão se levanta e vai devagar em direção da porta de saída do Salão de Festas do prédio, onde está acontecendo a reunião de condomínio.
Tenta abrir a porta que está com fechadura emperrada à 5 meses. Arranca sem querer a maçaneta da porta que fica em suas mãos.
“- Viu por que gastamos tanto, tem gente que não cuida o bem comum do prédio, desconta dele”; grita do fundo um morador.
O Laranjão sai com a maçaneta na mão. Coloca no bolso e vai embora.
O presidente da Assembléia: “- E agora vamos para os problemas de cada andar e só vai ser resolvido de quem compareceu à reunião: primeiro ítem – trocar a lâmpada do corredor do 3º andar.  Terceiro andar? Ninguém? Pulamos essa então”…
O Laranjão entra no elevador e aperta o número 3 no painel do elevador.
*Aqui você vai conhecer o Laranjão. No meio jornalístico se reconhece “laranja” como aquela pessoa que utilizam para se colocar a culpa. Um retrato do cidadão brasileiro em si. Suas qualidades, suas virtudes, seus defeitos, seus dramas. Sou eu, é você. Na rotina, no inesperado, não interessa, sempre é ele o culpado de tudo que acontece à sua volta.