5 de dezembro de 2017
Inicial / Repórter Brasília / O voo rasante dos tucanos em Brasília

O voo rasante dos tucanos em Brasília

Print Friendly, PDF & Email

José Antônio Severo

Geraldo Alckmin quer um palanque tucano em Brasília ainda este ano. Para isto o diretório regional do PSDB está trazendo um dos mais categorizados organizadores de campanha do partido, o paulista Sérgio Kobayashi, que foi coordenador de campanha do próprio Alckmin para governo de São Paulo e na presidencial de 2008, e também um dos chefes das campanhas municipais, regionais e nacionais de Mário Covas e José Serra.

Em Brasília, o presidente do diretório regional, o deputado federal Izalci Lucas está instalando o sistema de Kobayashi, chamado “Ativismo Digital”, que já funciona nos governos tucanos do Paraná e Mato Grosso do Sul.

Os governadores Beto Richa, do Paraná, e Reinaldo Azevedo, de Mato Grosso do Sul, testaram o sistema de ativismo digital tanto na eleição de 2014 como, depois, na sustentação de seus governos nas redes sociais. O PSDB pretende expandir o sistema para outros estados e para a eleição presidencial.

Na semana passada o diretório regional do DF realizou quatro reuniões com grupos de 40 pré-candidatos a deputados distritais e federais do PSDB e partidos aliados. Os aspirantes a candidatos serão a base de impulsão para difusão do projeto na militância e darão capilaridade pelas redes sociais.

Os candidatos e suas equipes de militantes serão treinados pela equipe de Kobayashi para o uso das novas ferramentas. Segundo revelou nas reuniões com os grupos de pré-candidatos, Kobayashi pretende ter cerca de 3.000 ativistas operando até maio do ano que vem, por todo o Distrito Federal.

Nesta primeira fase, em que a campanha eleitoral propriamente dita é proibida pela legislação eleitoral, esses grupos de ativistas vão se concentrar na organização e revitalização do PSDB regional, focando na visão partidária dos problemas do DF. Quando chegar a campanha estará com todo o território brasiliense coberto pelo sistema.

Essa decisão do comando nacional do PSDB de ter candidatura própria no DF será oficializada na próxima semana, quando Geraldo Alckmin vier a Brasília para a convenção nacional do partido, marcada para 9 de dezembro,  vai homologar seu nome como presidente do PSDB.

Com isto fica afastada a hipótese de coligação do PSDB com o PSB para apoiar a candidatura à reeleição do governador Rodrigo Rollemberg.

Segundo transpirou, o antigo ex-vice-presidente em exercício do partido, senador Tasso Jereissati, chegou a examinar a hipótese de  um entendimento entre o governador e o PSDB do DF. Entretanto, a iniciativa não prosperou. No diálogo,  Rollemberg ouviu dos tucanos: “só há uma coisa certa para 2018: não estaremos juntos”, foi o que narrou Izalci a seus correligionários nessas reuniões preparatórias.

Blog Edgar Lisboa

7 Comentários

  1. Alckmin já começou com o pé direito. A decisão de fortalecer o nome do governador fora do eixo SP é acertada e será muito bem conduzida por Sergio Kobayashi. O ativismo digital foi o carro chefe da campanha de Beto Richa ao governo do Paraná quando ainda poucos acreditavam no potencial das redes sociais. O trabalho do Kobayashi foi primoroso. Hoje, tanto tempo depois daquela campanha, quase que a totalidade dos políticos usam as mídias sociais para se comunicar com seus eleitores. Na verdade, tentam uma comunicação, mas pouquíssimos conseguem resultados. Explorar esse mundo não é para amadores.

  2. Quero deixar os meus cumprimentos ao governador Geraldo Alckmin pela sábia escolha. Sérgio Kobayashi é o melhor. Parabéns!

  3. Alckmin pensa no futuro do país, sem esquecer da capital. Passou da hora do PSDB ter candidato próprio no DF.

  4. José Augusto Gonsalves

    Se fizerem no DF o que foi feito no Paraná, será muito difícil ter espaço para mais alguém, principalmente no que depender do desempenho das redes sociais. Lembro-me que eu abri o computador e só via as propostas do Beto, como se fosse ele o único candidato. Não tive a oportunidade de conhecer esse Kobayashy mas certamente conheço o seu trabalho.

  5. O Alckmin tem a oportunidade de fazer uma excelente campanha e muitas chances mesmo de se lançar e vencer a presidência. Porém, tem que tomar muito cuidado com uma possível avalanche de ‘dobrada’, ou acordo, ou coligações, como queira chamar, que pode descaracterizar seu próprio nome, ainda mais em locais onde há uma certa politização por parte da população. Brasília é um dos casos clássico em que isso acontece e, por esse motivo, acredito que o futuro presidente deva fazer a opção pela chapa do partido, PSDB, que nem precisa ser puro sangue, embora fosse bom. Mas com certeza pelo que estou vendo pela cidade e, principalmente dentro do partido, o Izalci realmente é o melhor nome para ser candidato, para apoiar e trazer apoios ao Alckmin e, quando eleito, também será o melhor nome para governar.

  6. Se alguém nesse partido ainda tiver um pouco de juízo, não titubearia em consagrar Alckmin presidente e Izalci governador. Isso me parece meio óbvio. Esse Rollemberg é um desastre mesmo. Contamos com o Kabayashi para essa empreitada, acredito que as Redes Sociais terão papel fundamental para o bom desenvolvimento das campanhas este ano, é uma tendência mundial.

  7. Parabéns e Sucesso Eterno Mestre Sergio Kobayashi !!! O Brasil precisa ser passado a.limpo, o Brasil precisa de #GeraldoAlckmin #45 Presidente do Brasil !!! @geraldoalckmin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *