Inicial / Repórter Brasília / Pacto Federativo, Paulo Guedes quer Políticos no controle
Giovani Feltes: "governo perdendo o encanto".

Pacto Federativo, Paulo Guedes quer Políticos no controle

Print Friendly, PDF & Email

O governo articula a tramitação de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) no Senado para mudar o chamado Pacto Federativo, acabando com as despesas obrigatórias e as vinculações orçamentárias. O anúncio foi feito pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo o ministro, a proposta dará aos políticos 100% do controle sobre os orçamentos da União, Estados e municípios, e não deverá prejudicar a aprovação da reforma da Previdência.

Assumir suas responsabilidades

Na opinião de Paulo Guedes, “os políticos têm de assumir as suas responsabilidades, as suas atribuições e os seus recursos. Eles são gestores públicos e sabem o desafio que têm. Hoje o cara está sentado lá numa prefeitura, no governo do Estado, vendo subir isso, subir aquilo, sendo obrigado a fazer isso, fazer aquilo, e percebendo que ele não manda nada. Eles têm de mudar isso, assumir o protagonismo”.

“É liberal, não escamoteia”

O deputado Giovani Feltes (MDB-RS), ex-secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul, avalia que “ o que tem de positivo na manifestação do ministro Paulo Guedes é que verdadeiramente ele é um liberal, se dizia liberal, tem formação liberal e é liberal. E isso é positivo, quer dizer, não escamoteia para lá e para cá. Mais ele já teve que retroceder, por exemplo, naquela questão da sobretaxa da importação do leite, que ela vinha cortando e com a pressão o governo voltou atrás. ”

Cortar incentivos

O parlamentar explica que “  liberal, quer dizer, ele corta todos os incentivos, todas as participações, essas taxas para entrar produtos aqui dentro e eventualmente vão bagunçar o nosso mercado interno” Quer dizer, eles protegem muitas vezes algumas cadeias desde que a gente a não tenha a mesma força ou mesma tecnologia, ou enfim, cumpre um papel que não pode ser afetado, como é o caso do leite, por exemplo. E é natural que ele pense em privatizar tudo, mas o liberal ele tem que pensar assim mesmo, mas isso não dialoga com certeza, com o Brasil com tamanho desequilíbrio.”

Governo perdendo o encanto

Eu vejo o governo perdendo muito o encanto, especialmente encanto. A gente espera que agora com a formação da CCJ na Câmara as coisas comecem a andar um pouco mais. O fato é que o governo não tem focado naquilo que é o que mais interessa, não é. E aí fica ou com manobras, declarações, oposições diversionistas, ou então chutando bola para fora do gol. E lamentavelmente eu vejo um certo desencanto, quer dizer, ainda há com certeza uma ampla maioria disposta a ajudar e a provar as coisas lá na Câmara dos Deputados. Mais se continuar esse desencanto as coisas vão se complicando, pouco a pouco as coisas vão se complicando; é isso que eu tenho observado.

Reforma da Previdência

“Não. Não, não, não. Não vejo nenhuma possibilidade de que as coisas aconteçam assim com a rapidez com a qual o governo conta, acentuou o deputado Giovani Feltes, acrescentando de que no primeiro semestre “isso pode ser votado, vai ser votado e se conclua a votação da reforma da Previdência, que hoje tem uma favorabilidade para ser aprovada”.  A princípio, não é., mas também tem que mudar um pouco de um modo geral aquela discussão muito rasa, e o governo faz muito discurso para os seus radicais. E isso tem feito com que aqueles que não são radicais se afastem dos outros. Tem trazido um certo desencanto. E é isso, tem feito um discurso só para satisfazer a sanha dos radicais e dos doentes, entendeu! E aí isso afasta um pouquinho os outros que estão dispostos a colaborar porque eles estão achando que está meio demais o negócio, entende. ”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *