PMDB quer Ministério das Cidades

Print Friendly, PDF & Email

O presidente Michel Temer começa a semana sob pressão do PMDB que quer a chave do cofre do Ministério das Cidades. O partido reivindica o lugar dos tucanos no ministério responsável pelo Minha Casa , Minha Vida. Apesar de anunciar que não haveria retaliações, o Governo fez exonerações de cargos de segundo escalão, mas não quer nem falar sobre mudanças nos comandos dos principais ministérios, mesmo que infiéis, na Esplanada. Os peemedebistas defendem a indicação do gaúcho Carlos Marun (PMDB-MS) para o comando das Cidades. ” Quem não vota no governo tem de ir ao RH do Planalto e entregar o cargo. É o mínimo que deve ser feito”, assinalou Marun.

Absolutamente abominável

O deputado José Fogaça (PMDB-RS), sobre a pressão de alguns peemedebistas para assumir o Ministério das Cidades : “acho absolutamente abominável que se faça isso a esta altura dos acontecimentos”. Na opinião do parlamentar, “tem que ter uma delicadeza e um cuidado extremo com as funções políticas para conduzir o país, para preparar as condições que devem ser as mais democráticas, mais amplas, abertas e livres para 2018. Isso não soma, não leva a nada”, afirmou o ex-senador e ex-prefeito de Porto Alegre. Fogaça admite que “ de repente até tem chance de acontecer, mas é um tremendo equívoco”, reforça. José Fogaça ressalta que “o PSDB não está no governo para garantir a permanência de Temer o ou não. Está no governo para garantir a governabilidade das políticas econômicas, das políticas sócias, das políticas das cidades, através do Ministério das Cidades. Está aí para dar apoio e sustentação a estas políticas”, assinalou.

Reunião dos Tucanos

A Executiva Nacional do PSDB está sendo convocada, pelo presidente Tasso Jereissati, para reunião dos tucanos nesta quarta-feira (9), às 10 h30min, na sede do Partido. A deputada Yeda Crusius (PSDB-RS), diz que estão na pauta: convocação do Congresso Nacional e convenções partidárias para realização de eleições, em todos os níveis, com fixação de calendário eleitoral, e revisão/atualização do programa e estatutos partidários; Modelagem e cronograma de eventos de debates e formulação do novo estatuto e programas do Partido.

Multa a frigoríficos

O Plenário da Câmara dos Deputados deve votar, a partir desta terça-feira (8), a Medida Provisória 783/17, que permite o parcelamento de dívidas com a União, tanto de pessoas físicas quanto de pessoas jurídicas. O primeiro item da pauta, entretanto, é a MP 772/17, que aumenta de R$ 15 mil para R$ 500 mil o valor máximo de multa a ser aplicada a frigoríficos que infringirem a legislação sanitária. Os deputados aprovaram o parecer do senador Eduardo Amorim (PSDB-SE) e precisam votar os destaques apresentados ao texto. No parecer, o relator incluiu duas outras sanções às empresas que desrespeitarem a lei: cassação de registro e proibição de participar de licitações ou de receber financiamento público pelo prazo de cinco anos.