24 de setembro de 2018
Inicial / Artigos / Por um trânsito melhor – Fábio Medeiros
Por um trânsito melhor - Fábio Medeiros - Blog Edgar Lisboa. Foto: Divulgação

Por um trânsito melhor – Fábio Medeiros

Print Friendly, PDF & Email

Por Fábio Medeiros

Em 2018, a nação celebra os 20 anos do Código de Trânsito Brasileiro e uma década de ações para a segurança no trânsito. Desde que foi instituído, o Código define atribuições das diversas autoridades e órgãos ligados ao trânsito do Brasil, fornece diretrizes para a engenharia de tráfego e estabelece normas de conduta, infrações e penalidades.

Recentemente, uma das ações do comando da Esplanada alusiva a esse aniversário do Código foi o de pactuar um termo no qual estimula o Brasil a ingressar em acordos internacionais para reduzir as mortes e acidentes nas ruas e estradas brasileiras.

Outro desafio proposto foi uma medida que visa reduzir pela metade os acidentes até 2020. A meta está entre os Objetivos de Desenvolvimento Social das Nações Unidas. Segundo a ONU, mais de 1,5 milhão de pessoas morrem por ano no trânsito, ou seja, é a nona causa de morte no planeta.

Por um trânsito melhor – Fábio Medeiros – Blog Edgar Lisboa. Foto: Wilson Dias/EBC

No Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, 37,3 mil pessoas morreram nessas ocorrências em 2016. Além dos óbitos e os impactos às famílias brasileiras, ainda há prejuízos econômicos para os países. Segundo a Presidência da República, cerca de 3% do Produto Interno Bruto é consumido com as consequências dos acidentes.

Esse conjunto de ações globais em torno do combate aos acidentes e melhoria da segurança no trânsito são iniciativas aplausíveis. São metas ousadas, porém, exequíveis. Para que essas políticas se tornem eficazes é necessário contar com a participação integral daqueles que têm a incumbência e poder regulatório de cumprir a legislação.

No caso do Distrito Federal, mais de 1.200 servidores estão a serviço da população para combater à ingestão de bebidas alcoólicas e alta velocidade nas ruas e nas avenidas.

Outro vilão e também alvo constante dos agentes de fiscalização é a conscientização sobre o uso de celular ao volante, também proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro. Uma infração gravíssima, que gera multa e pontos na carteira. Mas também traz danos à sociedade.

Dados apresentados pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego mostram que ao ano essa combinação fatal gera 54 mil vítimas.

Por isso, a legislação se faz necessária para aumentar a consciência coletiva e dar mecanismos para que os agentes de trânsito possam cumprir a sua missão diária: promover um trânsito mais seguro.

 

Fábio Medeiros é presidente do SINDETRAN-DF (Sindicato dos Servidores das Carreiras que compõem os órgãos e Entidades Executivas de Trânsito do Distrito Federal).