Quarta-feira, 19 de agosto de 2009 | | Edgar Lisboa
Inicial / Repórter Brasília / Quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Print Friendly, PDF & Email

ANJ 30 anos
A Associação Nacional de Jornais (ANJ) num momento em que crescem as decisões judiciais determinando a proibição de que não sejam veiculadas matérias sobre assuntos específicos, caracterizando-se assim uma clara censura prévia, fato proibido pela Constituição, promoveu em Brasília o painel Liberdade de Expressão e o Futuro do Jornalismo: o que dizem os jornalistas. A última decisão a respeito da censura prévia e que ainda está em vigor é a liminar do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), assinada pelo desembargador Dácio Vieira proibindo a publicação pelos jornais O Estado de S.Paulo e A Tarde (BA) de reportagens sobre supostas irregularidades praticadas pelo empresário Fernando Sarney, fato denunciado pela Polícia Federal. O diretor- presidente do Jornal do Comércio, Mércio Tumelero, que participou da reunião do Conselho da ANJ, nesta terça-feira, no Bussines Center Brasil XXI, onde funciona também a sucursal do Jornal do Comércio, destacou a importância da pauta do conjunto de reuniões da entidade na comemoração dos 30 anos e destacou que “devemos ser intransigentes quanto à defesa da liberdade de imprensa”. A proteção de outros direitos constitucionais, ressaltou Mércio, citando parecer do ministro do STF, Carlos Ayres Britto, não pode dar cobertura à censura prévia. Na série de eventos para comemorar o aniversário da ANJ, realizada ontem em Brasília, participou do painel sobre liberdade de imprensa o jornalista Iason Athanasiadis, que esteve recentemente preso no Irã, em função de cobertura que fazia para o jornal norte-americano Washington Times. Participou também do painel um grupo de jornalistas brasileiros com atuação na defesa da liberdade de expressão. Além disso, houve também o lançamento do livro A força dos jornais, de autoria da presidente da ANJ, Judith Brito, e do diretor-executivo Ricardo Pedreira. Trata-se de um resgate do trabalho feito pelos jornais brasileiros nos últimos 30 anos e faz uma abordagem séria quanto ao desafio a ser enfrentado pelas empresas jornalísticas.

Em defesa de Dilma
“Este deputado do PSDB de São Paulo ocupou esta tribuna há poucos minutos para dizer ‘lá está ele, eu não sei bem o nome dele, acho que é Vanderlei’, que ficou comprovado na oitiva que houve no Senado Federal com a ex-secretária Lina que a ministra Dilma mentiu, que a ministra Dilma é uma mentirosa, que o presidente Lula também está mentindo”, indignou-se o deputado petista Fernando Marroni (foto) na tribuna da Câmara. Marroni pediu à Mesa Diretora que desconsiderasse as “palavras desonrosas” em relação a Lula e Dilma.

CURTAS
•Denominar de Professora Josefa Ripalda de Freitas o câmpus da Universidade Federal do Pampa, localizado no município de Caçapava do Sul. A ideia é do deputado pedetista Enio Bacci.

•O nome de Sepé Tiaraju, índio que atuou em defesa dos habitantes das missões guaranis do Rio Grande do Sul, em meados do século XVIII, será inscrito no Livro dos Heróis da Pátria.

•Realizar audiência pública para discutir a necessidade de criação de marco regulatório específico para universidades comunitárias brasileiras. A proposta foi apresentada pela deputada petista Maria do Rosário.