Inicial / Notícias / STJ liberta Arruda

STJ liberta Arruda

Print Friendly, PDF & Email

Por maioria de votos, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatou o parecer do relator, ministro Fernando Gonçalves, e determinou a revogação da prisão do ex-governador do Distrito Federal (DF) José Roberto Arruda. Segundo o ministro, “não há mais razão para a prisão preventiva”.

Arruda (Foto: Divulgação)
A Corte votou contra parecer do Ministério Público Federal (MPF), que defendia a permanência de Arruda na prisão. Gonçalves declarou que o relatório com os depoimentos tomados pela Polícia Federal (PF) chegou nesta segunda-feira (12) às suas mãos e, como esta seria sua última sessão, ele preferiu levá-los à deliberação da Corte.

O Ministério Público Federal deu parecer contra a soltura de Arruda, alegando que ainda aguardava o fim das investigações sobre o suposto envolvimento do ex-governador em um esquema de corrupção no Distrito Federal para dar novo parecer.

Arruda está preso há dois meses na sede da Superintendência da Polícia Federal por suspeita de tentativa de suborno de uma testemunha da Operação Caixa de Pandora, que desbaratou um esquema de arrecadação e distribuição de propina envolvendo empresários e integrantes do alto escalão do governo do Distrito Federal. Para que o ex-governador seja solto, a Superintendência da Polícia Federal aguarda a chegada da decisão do Superior Tribunal de Justiça.

Liberdade para cinco outros envolvidos

Os cinco envolvidos no episódio de suborno de testemunha do Mensalão do DEM, em Brasília, que estão presos na Penitenciária da Papuda, também ganharão liberdade. O primeiro deles, o ex-conselheiro do Metrô de Brasília, Antônio Bento, foi preso em flagrante em 5 de fevereiro durante a suposta tentativa de suborno do jornalista Edmilson Edson dos Santos, o Edson Sombra. Os outros quatro, o ex-diretor da Companhia Energética de Brasília (CEB) Haroaldo de Carvalho; o ex-secretário de Comunicação do Distrito Federal, Wellington Moraes; o suplente de deputado Geraldo Naves; e o assessor do ex-governador Rodrigo Arantes, tiveram a prisão decretada no mesmo dia que Arruda e agora também ganharão liberdade.