Terça-feira, 25 de agosto de 2009 | | Edgar Lisboa
Inicial / Repórter Brasília / Terça-feira, 25 de agosto de 2009

Terça-feira, 25 de agosto de 2009

Print Friendly, PDF & Email

Presos caros demais

Foto: divulgação

Manter um criminoso em uma penitenciária federal custa quatro vezes mais do que mantê-lo em um presídio estadual, de acordo com levantamento do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), dirigido pelo gaúcho Airton Aloísio Michels (foto). Os números mostram que para hospedar Fernandinho Beira Mar o governo federal gasta R$ 4,8 mil por mês. Já se ele estivesse preso no estado do Rio de Janeiro, custaria R$ 1,2 mil. “A diferença é que no sistema de segurança máxima federal o custo é fixo e a garantia de que não haverá fugas é atestada. O preso no sistema federal é mais caro, mas não há rebeliões, registro de fugas, superlotação e reincidência criminal” garante Michels. No Brasil, foram inauguradas quatro penitenciárias federais desde 2006: Catanduvas (PR), Campo Grande (MS), Porto Velho (RO), e Mossoró (RN). Segundo Michels, os presídios estaduais estão em situação caótica. “É uma vergonha. Não há recuperação do indivíduo. No sistema de segurança máxima, recebemos presos de todos os estados do país, menos de São Paulo, que até hoje ainda não pediu qualquer transferência de detentos que estão em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD).” A próxima penitenciária está sendo finalizada no Distrito Federal e promete abrigar a nata da bandidagem.

Extinção da Receita em Uruguaiana

A extinção da Delegacia da Receita Federal de Uruguaiana, proposta na reformulação do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, está preocupando o deputado petebista Paulo Roberto. Esta semana, ele encaminhou ofício ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, solicitando esclarecimentos sobre a extinção.

Grilagem na Bahia

O deputado Luis Carlos Heinze (PP) vai dar um arrocho no ministro petista do Desenvolvimento Agrário, gaúcho Guilherme Cassel. O parlamentar aponta que existem indícios de irregularidades e grilagem de terra do imóvel rural denominado Fazenda da Pedra, localizado em Cocos (BA) e gerido pela empresa Jamaica Agropecuária Serviços e Administração. Heinze pergunta a Cassel, em um requerimento de informações, se o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) reconhece a área como propriedade particular, se há regularidade da posse da fazenda e o resultado da fiscalização realizada recentemente. O deputado quer saber se as 15 providências mencionadas na fiscalização foram adotadas.

Getúlio esquecido

Nenhum político gaúcho discursou nesta segunda-feira (24) sobre os 55 anos da morte do ex-presidente Getúlio Vargas. Apenas o senador roraimense Mozarildo Cavalcanti (PTB) fez um pronunciamento sobre o assunto e reclamou da falta de publicação por jornais e revistas brasileiros de matérias sobre o fato. “Antes de Getúlio, o voto era de cabresto e as mulheres não votavam. A Presidência da República fazia parte de um acordo entre Minas Gerais e São Paulo” lembrou o petebista. Entre as realizações getulistas, o parlamentar destacou a criação, em 1943, do território federal do Rio Branco, mais tarde denominado como território federal de Roraima, o qual foi transformado em estado pela Constituição de 1988.